rogbenites@gmail.com

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Aumento do Preço na passagem de onibus em Livramento

Vou ler a reportagem sobre um santanense na direção regional do PT e o que recebo.
A noticia do aumento da passagem do onibus municipal, aprovado pelo conselho presidido pelo Luis Claudio, assim goela abaixo, e o povo como fica?

"O Conselho Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana-COMUT já deu OK para o pedido de reajuste nas passagens do transporte coletivo reivindicado pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano-STU. O aumento tem que ser ainda decretado pelo Prefeito. O novo valor deve ser de R$ 1,75, correspondente a um aumento de 25% sobre os R$ 1,40 atuais. Deve vigorar a partir do 5° dia útil de maio".

Enquanto nós trabalhadores recebemos apenas reajuste da inlfação, e , aposentados nem mesmo isso os empresários do setor apoiados pelos governos, e representantes políticos, que deveriam defender o interesse do povo e dos trabalhadores, aprovam aumento na passagem de onibus, é muito indignante está situação, o PSOL, convoca os trabalhadores a se mobilizarem contra este aumento abusivo.

Ligando para as rádios locais, para os vereadores, mais conhecidos como AUDIENCIAS PÚBLICAS, o porque de agora eles não discutem sobre a questão, assim demonstrando que não tem interesse com as demandas do povo santanense.

Lógico que os empresarios e o proprio conselho argumentará que estão a  anos sem aumento, vide que estão ameaçando os trabalhadores das empresas com possiveis demissões, mas para nossa cidade o preço é elevado.
Além de não ter emprego, saúde, educação agora teremos que pagar R$1.75 para podermos andar de onibus, qual o compromisso dos vereadores ?
E do prefeito?

O povo percebe mais uma vez que foram enganados com as falsas promessas de campanha, so existindo um forma de retirar estes representantes do poder, através do voto.

Portanto hojo nas proximas eleições, com os panfletos coloridos, com as mentiras, com as carreatas milionárias, e depois, votam pelo aumento de seus salários, cargos, para se lucupletarem com recursos públicos.

A única alternativa é o PSOL,  que tem posição polítcia em defesa do povo e dos trabalhadores.

Rádio ......

Hoje participei do programa da rádio cultura contra ponto das 17 e 30 ás 19 horas, sob o comando do Didio, assessor do Bernardo Fontoura PSDB, presidente da camara de vereadores a convite do Elifas Simas do PT, ex-prefeito, ex-candidato a prefeito na eleição de 2008, o programa contou ainda com a participação da Leda ex-provedora da Santa Casa e do Dagberto Reis, suplente de vereador e assessor da deputada Emilia Fernades, acho que são membros efetivo do programa.

De vez enquando lá de vez enquando, tempos em tempos geralmente próximo as eleições, eles resolvem abrir algum espaço para que nós do PSOL possamos nos manifestar, logicamente pelo formato do programa não há como alinhar o raciocinio nos principais temas que afetam diretamente o nosso povo, quando começo a levantar a questão da descrença com os governos e seus partidos institucionalizados, os quais estão envolvidos na corrupção, tratam logo de trocar de assunto e desviar o foco.

Hoje o foco foi o governo ou desgoverno Wainer, não é a toa, que lá se discutia a reportagem do jornal a platéia onde o Cleizer protelou um certo crescimento em nossa economia baseado nas construção civil, obras e mais obras, de imediato o tema que tomou conta foi a energia eólica, sua possibilidade de desenvolvimento, aumento de icms, emprego e renda, feito do governo federal.

Para trazer a brasa para meu assado como diz o gaúcho tive que fazer um link com a matéria do jornal, dizendo que não estava tão fora de foco o jornalista, pois o energia eólica será para 2012, as obras dos ginasios Simão Bolivar LBV, Santa Rosa, UPA (Unidade de Pronto Atendimento), 443 casas do programa minha casa minha vida, são nada mais do que promessas de governos e propaganda de jornais que rendem muitos elogios e discussões nas prórias rádios de nossa cidade, vai vir virá, eu perguntei a eles quando?
Ninguem soube responder logicamente, porque o povo começa a perceber as mentiras, as falsas promessas as enganações, com viés eleitoreiro devido ao periodo que se aproxima.

Como muitos que se cansaram de acompanhar estes programas de conversa e debates, pois sabemos quem é convidado e quem dirige tem seu objetivo economico e politico, sempre a mesma conversa, critica pela critica, mas não conseguem desfiliar-se de sua próprio responsabilidade no processo, seja ele de instagnação economica do municipio, ou falta de políticas públicas, saúde, educação, segurança, porque eles fazem parte dos governos, governos estes que nos abandonaram definitivamente, vide o fechamento do hospital por 5 meses, desviu de 500  mil dos cofres da instituição, demissão de 106 trabalhadores.

Ma enfim foi importante, para que pudesse mesmo que interrompido divulgar nossas lutas principalmente na questão da corrupção, pude pautar sobre nosso mandato, o mandato da deputada federal Luciana Genro do PSOL,  nossas candidaturas, dando enfase ao governo do estado através do companheiro Dr. Pedro Ruas, sua experiencia como secretario de estado, seu conhecimento como advogado trabalhista renomado, sua construçaõ política advindo do brizolismo, assim com a questão da divida do estado para com a União que nem PT, quando governo, nem PMDB  e a direita souberam responder a sociedade gaúcha.

Um novo modelo, um novo projeto para o Rio Grande, é que estamos construindo com a sociedade, movimentos sociais, sindicais, estudantes, juventude, funcionários públicos e trabalhadores.
Baseado no combate intransigente a corrupção, que desvia recursos da saúde, geração de emprego, educação, etc para os bolsos dos políticos e suas quadrilhas de plantão nos governos.

Desta forma o PSOL, postula-se ao poder nas próximas eleições, se há como entendemos que ha´uma enorme indignação com a situação do povo e dos trabalhadores gaúchos, somente existe uma maneira de fazer justiça é através do voto, retirando os responsáveis pelos processos corruptos do poder, extirpando estes seres e seus partidos do cenário político através do sufrágio universal.

 

segunda-feira, 26 de abril de 2010

CPI DA SAÚDE JÁ............

Neste domingo, 25, a deputada federal Luciana Genro e o vereador de Porto Alegre Pedro Ruas, líder da oposição na Câmara Municipal, estiveram no Brique da Redenção coletando assinaturas da população pela instalação da CPI da Saúde na capital gaúcha. O chamado do abaixo-assinado é “Se os vereadores não assinam, assinamos nós!”. Falta apenas uma assinatura da vereança para que a CPI seja instaurada.


Já foram coletadas mais de 1,5 mil assinaturas de populares a favor da CPI. Ruas entende que, embora difícil, “não é impossível obter a última assinatura de vereador necessária”.


Participe! Clique no abaixo-assinado para imprimi-lo. As folhas assinadas podem ser entregues na sede do PSOL em Porto Alegre: Rua da República, 108 – Cidade Baixa.

domingo, 25 de abril de 2010

Análise sobre A Platéia de Domingo e Correio do Pampa.....

Os jornais dizem:
Parceria entre prefeitura e AES SUL recupera fonte luminosa, deve ser a mesma aquela da SAnta Casa lembram Waiener/Leda.
Campanha do agasalho
Abro a página sempre os mesmos nas fotos, porque será?
Campanha do agasalho, doe um agasalho a vida inteira será assim, muita pessoas realmente precisam, eles também necessitam dos pobres e de seus votos, afinal as eleições estão ai novamente.
Batista preocupado com a rodoviaria está escura, hummmm. sempre em cima do muro.
Emilia Fernandez recebe homenagem do exercito?
100 mil para o 7 rcmec ?
Gluber Lima e Emilia acordam dobradinha, será mesmo ou somente para o jornal, a DS, com a Amplo não fecham, vai ser taio por punhalada.
Presidente da camara Bernardo PSDB, solicita emprestimo de máquina? Será para fechar a UERGS, ou fazer cadernos para dizer que está fazendo algo?
Novamente Emilia FErnandes houve reivindicações dos aposentados?
Ela é deputada federal do governo Lula, foi senadora e ministra, e o os aposentados não conseguiram nada atá o momento, deveriam acreditar agora, quando estão terminando o mandato?
Certidões de 40 percebam a maldade do rapaz 40 numero de seu partido o PSB 40, habitações saem na próxima quinta, faltam somente 4960?
BASTIDORES
As pesquisas iformais do PT
balela da parceria CARINE PMDB/mateada com recursos da corrupçaõ do governo YEDA, a mesma que indicou João Antonio dos desvios da SAnta Casa, em conjunto com Paulo do sindisaúde, lembram?

candidaturas locais, mais balelas, sem zambiazi   e com ICO na defensiva Coronel/Germano, não tem como responder o porque não fizeram nada para evitar o fechamento do hospital, mas estiveram em todas as fotos do Osmar Terra.

Petebistass de 12 municipios em Livramento, são base do governo Lula, e diretos do governo corrupto de YEDA, e o que fizeram pelo nosso municipio?


CORREIO DO PAMPA

Secretário da Fazenda está sendo processado pela justiça, Irani Cobas
EMENDAS SUPERAM MAIS  DE 1,5 milões de reais da deputada Emilia Fernades,
será mesmo?
Cade a emenda da COOFITEC,  o pessoal quer falar com a deputada, as promessas do jornal parece que a nobre deputada não poderia emendar e deu um bico mesmo, para fora do estádio no ano passado após assumir na vaga do falecido Adão Preto, os trabalhadores da COOFITEC estão aguardando? Até quando hem.

Podemos também indagar, assim dizendo sobre o RX, no valor de 300 mil para a Santa Casa, onde está mesmo, ha no jornal , e mais jornal, até quando, povo de horfalase, até quando?

Grauber PT, visita secretaria para junto do povo solicitar, tapem os buracos, calcem as ruas, coloquem lampadas nos postes? O que o vereador fez pela Santa Casa com oo governo federal na mão? NADA.
Tche que baratesa?
8 anos de governo Lula, o que troxeram?
unipampa, mesmo curso da urcamp, escola técnica , projeto do governo 350 no total, fez um abaixo assinado para dizer fui eu quem trouxe a escola técnica, levaram 8 anos, vide obras do PAC Programa Aceleração do Crescimento, Bagé 240 milhóes, Santa Maria 280 milhóes, LIVRAMENTO 5 milhóes, é muita incompetencia.

Temos que dar um basta nos governos que fecharam a Santa Casa por 5 meses, demitiram mais de 100  trabalhadores sem pagar ninguém, mães estão desesperadas não tem nem como dar comida para seus filhos, Quatos mesmos morreram nesse periodo? Eu que estou envolvido com a questão da saúde não sei,
nos abandonaram e agora vem com mais promessas e mentiras, vai vir, virá, Complexo esportivo na Vila Santa Rosa, Simão Bolivar LBV, energia eólica tomara, UPA, para absorver os demitidos da Santa Casa onde está ?

Mais mentiras?

Até quando povo santanense, vamos dar um basta eles virão novamente com suas carreatas milionárias, panfletos coloridos, muito dinheiro?

Não podemos esquecer os desvios de mais de 500 mil do hospital, que nós do PSOl dencunciamos e provamos que lá existia CORRUPÇAÕ, de onde sai os recurso de suas campanhas?
É o nosso que tá ali?

Vamos dar um basta, no outubro próximo, fazendo com que o Rio Grande do Sul, volte sua atenção para a nossa cidade, convergindo todos para o PSOL de cima abaixo.

50 neles.

Boa semana.

obrigado pelas mensagens de incentivo.

Pergunta aos amigos e amigas porque será que só d[a eles nos jornais, será que eles pagam para sair todos os dias , assim como falar nas rádios, será ?

Mensagens somente por email identificando-se
rogeriobenites@hotmail.com

Vivendo e aprendendo, direto do blog da Luciana Genro

Síndrome de alienação parental


25/04/2010

O dia 25 de abril é o Dia Internacional de Conscientização sobre a Alienação Parental. Neste domingo os militantes do Projeto Criança Feliz estavam no bric distribuindo panfletos sobre o assunto. É muito sério. É o termo que define a situação em que a mãe ou pai de uma criança a treina para romper os laços afetivos com o outro genitor, geralmente em situações onde houve a ruptura da vida conjugal e aquele que fica com a guarda da criança desencadeia um processo de desmoralização ou descrédito do ex- cônjuge para o filho(a) de ambos, gerando sentimentos de ansiedade e temor em relação a este. O projeto de lei 4053/08 define esta prática como crime. Já passou pela Câmara e agora está no Senado, nas mãos do Senador Paim, que é o relator. Segundo estudos, crianças vítimas desta prática são mais propensas a apresentar distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico, baixa auto-estima e na vida adulta podem sofrer de diversos problemas, como não conseguir estabelecer uma relação afetiva estável e até o suicídio. Vamos apoiar esta causa!

sábado, 24 de abril de 2010

Apresento meu companheiro Maicon Natichall de Pelotas...


Nachtigall é filiado ao PSOL e será candidato a deputado federal nestas eleições, ao lado de Luciana, representando sua categoria. A parlamentar e Robaina estão confiantes na possibilidade dos policiais rodoviários terem um representante em Brasília. Nachtigall também é ativista dos direitos humanos e LGBT e organizador do baile Gala Gay Pelotas, cidade onde reside e trabalha. Luciana participou do evento no último carnaval e pôde perceber o engajamento do policial com sua comunidade e o respeito que os pelotenses têm por ele.

Maicol, me contou que pretende vir livramento em maio para divulgar sua luta em defesa dos homossexuais, debater também a questão de genero, estamos anciosos e aguardando noticias para recebe-lo com grande satisfação em nossa cidade.
Parabéns Maicon, pela coragem e iniciativa de colocar seu nome em defesa de uma causa tão nobre, conta conosco para apoia-lo em todas as ações em que forem necessárias para quebrarmos os preconceitos e paradigmas que sabemos que existem, tenho certeza que ser fores eleito deputado federal o Rio Grande terá mais um lutador, pautado na ética e coerencia, seguidor da nossa lider maior a deputada federal LucianaGenro.






O Mix começa hoje a esquentar o clima das Eleições 2010 e dá início a sua tradicional cobertura das candidaturas LGBT. Quem abre nossa série de entrevistas é o gaúcho Maicon Nachtigall, ativista e policial rodoviário federal que é pré-candidato pelo P-Sol à disputa de uma das 31 vagas na Câmara Federal dos Deputados a que os gaúchos têm direito.


Sua candidatura já foi aprovada pelo partido em suas convenções e já é uma das principais no meio militante brasileiro. Maicon se diz pronto para representar a comunidade colorida na Câmara Federal e se apóia em sua vivência homossexual como principal norteadora de suas futuras propostas. “Aprendi muito enfrentando situações do dia-a-dia.”

Como surgiu a idéia de se candidatar?



Após me tornar um ativista político e perceber que somente homossexuais poderiam perceber e entender as necessidades da comunidade LGBT. Existem representantes heterossexuais apoiadores de nossas lutas, mas para tratar de determinados assuntos é preciso sentir na carne, estar no sangue. Também entendo que o ato de legislar é para todos, para que possamos achar o bem comum entre as pessoas, livre de crendices e mitos populares.


Por que você acha que é uma boa opção para o eleitor?
Ativista político que sou atuo em diversas frentes fundamentais para o desenvolvimento humano de nossa sociedade. Atuante em assuntos LGBT no Estado, um dos coordenadores da Parada LGBT de Pelotas e, juntamente com meu companheiro, realizo anualmente o Festival GalaGayPelotas contra a falsa moralidade, incentivando o desenvolvimento da cultura. Com graduação em Física pela UFRGS, fui professor por mais de três anos e desde 2005 sou policial rodoviário federal no Rio Grande do Sul. Não sou apenas um ativista do setor LGBT, também sou autor de vários projetos sociais desenvolvidos anualmente nas áreas de educação para o trânsito e de combate à fome, que, segundo levantamentos, são os principais motivos que levam a classe menos assistida da sociedade à criminalidade. Já morei em várias cidades do Rio Grande do Sul como Porto Alegre, Caxias do Sul, Rio Grande e hoje em Pelotas, além de já ter viajado o Brasil afora, o que me propiciou um conhecimento geográfico bastante amplo e conhecimento das necessidades de nossa população. A conquista da igualdade de direitos humanos é minha principal bandeira, mas não a única: educação e segurança pública são pré-requisitos fundamentais de desenvolvimento para o Brasil. Sigo a linha de coerência de meu partido no que diz respeito à defesa da justiça social e o combate ao preconceito e à corrupção, denunciando a banda podre da política brasileira.


Quais suas propostas para os LGBT?

Acredito no combate ao preconceito por meio de emendas na Constituição Federal e no Código Civil Brasileiro – e relembro alguns dos 37 direitos civis negados à comunidade LGBT como a união civil e a adoção, além dos direitos de ordem pecuniária como financiamentos conjuntos, direitos previdenciários e de herança, declaração em planos de saúde e imposto de renda, dentre outros, pois enquanto não conquistarmos nossa condição de igualdade de direitos junto aos heterossexuais ainda passaremos por muitas situações constrangedoras e violentas em nosso cotidiano. O combate à homofobia começa aqui. Precisamos instituir nas grades escolares de ensino assuntos de diversidade sexual. Hoje falar em homossexualidade em sala de aula ainda é tabu e o pior, tratada por muitos como se não fosse um ato natural. Precisamos formar a geração do futuro e não será apenas com paradas LGBT que faremos isso. Vou articular com o Ministério da Educação a inserção desse tema na grade, como já vem fazendo a ABGLT, além de ampliar nossa rede parlamentar de apoiadores, coisa que já venho fazendo.


Como elas foram construídas?

Homossexual assumido, aprendi muito enfrentando situações do dia-a-dia e percebendo que se tivéssemos amparo legal as maneiras de como lidar com as situações de discriminação seriam muito diferentes. Partindo daí comecei a militar, participar de inúmeros grupos de discussão sobre desigualdade social. Lendo e trocando idéias com especialistas no assunto, comecei a formatar minha percepção do que se faz necessário para promover uma justiça social para todos.



Como pretende colocá-las em prática se vencer a eleição?

Quando tivermos um representante LGBT legítimo no Congresso o tratamento dos projetos de leis que lutamos, dentre outros que proporei, serão tratados de maneira muito diferente e com mais seriedade. Hoje se os gays não se fazem representar não tem o mesmo moral de cobrar tratamento de igualdade. Em breve, teremos que ter no mínimo um representante LGBT por Estado brasileiro. Articularei esse chamado de nossa comunidade. Com a ideologia socialista que tenho acredito na manifestação popular para pressionar o governo. Uma pressão em massa, em todos os Estados ao mesmo tempo. Quem é mais politizado entende que o governo federal articula para possuir a maioria no Congresso e aprovar o que quer ou o que precisar. Estou no P-Sol justamente porque meu partido não prega isso, não realiza negociatas. Deixa seus parlamentares votarem conforme suas convicções.



Quais são as principais três coisas que o eleitor deve observar em um candidato antes de votar nele?

Caráter vinculado a sua índole, coerência entre seus discursos e atos e competência, já que os LGBT querem e necessitam de um representante para sua classe que tenha conhecimento de causa e que atue ativamente na vida política de nosso País.



Você considera importante os LGBT se envolverem na política? Por quê?
É muito importante todos os setores da sociedade se fazerem presentes nas diversas esferas da administração pública. Em especial na Câmara dos Deputados, temos que ter no mínimo um representante de cada Estado brasileiro. Temos no País 513 deputados justamente para isso, para termos representação dos mais diversos setores, e não para criar cabides de empregos. Como falam as mulheres, um homem jamais poderá saber o que é ser mãe. Se isto é verdade, analogamente, como um heterossexual saberá o que sente e as reais necessidades da comunidade LGBT? Podem ter belíssimos assessores, e alguns até tem, mas ser gay não é imaginar-se gay e isto fará toda a diferença se a comunidade LGBT me der a honra de poder representá-la.

Quem quiser saber mais pode seguir Maicon no Twitter (@MaiconNachtigal) e no Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=mp&uid=6840803233550506639

quarta-feira, 21 de abril de 2010

No onibus do Prado...

Após assistir a uma palestra motivadora do Valmir professor universitário, com um curriculo vasto,
onde ele deu enfase a felicidade, a vida com qualidade e não a qualidade de vida, dizendo que nós santanenses temos condições sim de solucionar os nosso problemas, porém necessitamos acreditar.
Disse ele que assim é nas empresas, o AU OU DO, au cliente qualidade, beneficio, mas ninguém pergunta qual a necessidade Do cliente, pois é uma grande mentira, somente há um objetivo aumentar a lucratividade e ponto.

Voce está feliz? na empresa em que está trabalhando?
Quem vai dizer que não est[a feliz? Ninguém o fará, senão perde o emprego, em livramento seria dificel conseguir outro.

Após a palestra, pego o onibus do Prado para vir para casa encontro um menino de 15 anos que estuda na 7°série do rivadávia Correia noturno, o Matheus filho do Jorge que trabalhou no Lanificio, ele me contou que largou curriculo por todo o lado, 6 somente no Righi,  se não conseguir emprego para ajudar a sua familia, no mes que vem vai abandonar a escola, para ir trabalhar com seu pai em campanha de inseminador, porque aqui em Livramento não tem emprego mesmo, ele disse que seu pai não cansa de comentar sobre o tempo que nossa cidade tinha empresas como o LANIFICIO, ARMOUR, etc... tinha empregos, hoje nossos filhos tem que estudar já sabendo seu destino, é a rodoviaria, é ir embora da cidade.

 Disse a ele que não pare de estudar, que corra atrás de seus sonhos, que sonhe alto, voe alto.

Chegou a minha parada, me despedi, mandei um abraço para seu pai, pois minha mãe também trabalhou no Lanificio e pode criar tres filhos sozinha graças a esta empresa, graças a um trabalho digno.

Nas duas quadras que separam minha casa da parada, pensei o que há de errado conosco?
Porque as coisas aqui estão nessa situação?
Até quando aceitaremos este quadro de que não dá é assim mesmo, sempre foi assim?
De quem é a responsabilidade então?

Uns poderão dizer é nossa, pois escolhemos errado nosso representantes, outros dirão são os representantes políticos eles depois de eleitos nos esquecem, e outros dirão são os políticos e nós mesmos.

Para mim o grande culpado é o Estado em seu todo, União, estado e municipio, que nos deixou abandonados, ao qual nos devia CUIDAR, pois vivemos em zona de fronteira, defendemos o nosso Brasil, no garrão do Rio Grande, e o que ganhamos com isso.

Nosso pais tem que ir trabalhar nas maças, deixando suas familias sós, e ainda quando retornam tem que dar uma porcentagem para a caixinha do Melado.

Nosso principais talentos para alcançarem a felicidade tem que irem embora para outras cidades em busca de seus sonhos.

Ficamos 5 meses com a nossa Santa Casa fechada, quantos morreram mesmo neste periodo?
Ninguém sabe, ninguém diz, sempre foi assim...

Os culpados para o fechamento do Hospital, segundo a camara, os vereadores, o prefeito, a governadora e o Presidente? foi os funcionários e o povo.

Foi o povo que ficou sem o atendimento e os funcionários que tiveram 106 demitidos sem pagar-lhes nenhum centavo em nome do social.

Sempre defendi NÃO AS DEMISSÕES, mas eles a direção do Sindicato Traidor Sindisaúde, fez a cabeça dos funcionários dizendo que sómente esta era a saída, demitir, diminuir a folha, enxugar a máquina, na eleição de  2008, eles diziam ao contrário, pois o hospital chegou a ter 400 funciona´rios, lembram?

O prefeito, os vereadores a govenadora e o presidente nos abandonaram totalmente, desmancharam, fecharam o hospital, de médio porte de atendimento de 180 leitos com 330 trabalhadores.
Para reabri-lo com 120 leitos e 220 funcionarios para dizer viram nós abrimos a Santa Casa, ou seja, até quando aceitaremos esta cultura do desmanchar o que temos, grandioso, e vir alguém de fora fazer algo bem menor, pequeno e dizer a este é bom, ele sabe fazer eu fiz.

Será que é o nova mesmo esta gestão do Mãe de Deus?

Não quero aqui ser o estraga prazer, depois todos dizerem a esses caras do PSOL, querem ser promoverem nas costas do hospital, foi assim quando na eleição de 2008, quando fui candidato a prefeito dei enfase na questão do hospital e os próprios funcinonários, mas eles estiveram lá dentro, eles tem nome sim Wainer, Ico, Elifaz, e seus aliados, todos a convite da Leda antiga Provedora, envolvida no processo de suposto desvio de mais de 500 mil reais dos cofres do hospital, ao qual nós denúnciamos e provamos que lá existia corrupção, os convidou para fazerem campanha lá dentro. Eles prometeram que se eleitos nada, nada aconteceria com o hospital e com os funcionarios, haja visto, que estavam recebendo em dia, e tinham recebido crédito até mesmo no Banrisul de até 2 mil reias.

Foi assim que o povo votou, enganados, iludidos, onde está mesmo os 500 mil reais?
Nas carreatas milionárias, nos panfletos coloridos, elegeram quantos vereadores mesmo?

Talves seja este  o motivo deles vereadores não terem feito nada, na questão da santa casa, nem um abaixo asssinado, CPI, mesmo que não desse em nada mesmo, pra que?

Deixa assim sempre foi assim......

Convoco a todos que não aceitam todos estes fatos citados acima a se juntarem a nós do PSOL, pessoas de bem para dar um BASTA, nesta situação, de falta de emprego, saúde, educação, para lutarmos por uma grande transformação social de verdade, através da participação, e construção da cidadania, utilizando a melhor das ferramentas que é um partido limpo, ético, e com um lado para defender, o lado do povo e dos trabalhadores, venha para o PSOL.


Rogério Benites 20 de abril de 2010.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Após revelações de MPF, Pedro Ruas insiste na CPI da Saúde

O líder da oposição na Câmara Municipal de Porto Alegre, Pedro Ruas, comentou, na fala de liderança desta segunda-feira, 19, a quebra dos sigilos fiscal e bancário do ex-prefeito José Fogaça para investigações da Polícia Federal. Conforme o vereador, é a primeira vez que a capital gaúcha tem um chefe do Executivo submetido a essa medida.

“É muito cedo para fazer acusações, mas o fato é da maior gravidade”, ponderou. “A quebra de sigilo reafirma a necessidade de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Saúde na Câmara”, afirmou. “A CPI até pode ser ineficaz, como já ocorreu, principalmente, na esfera federal. Mas, a Câmara deve exercer seu papel e instalar essa comissão.”

PP decide por apoio à coligação com Yeda e reivindicam o vice

Quando o BARCO VAI AFUNDAR DEFINITIVAMENTE, os ratos o abandonam imediatamente, alguns partidos já haviam abandonado a candidatura de Yeda, vide PMDB/PDT com a candidatura de Fogaça, PTB com Lara e DEM, mas continuam mamando no governo com seus cargos, tudo pela governabilidade.
Não há respeito para as decissõe de base, os caciques decidem pela maioria, comentei aqui sobre a candidatura do BETO do PSB, e sua proposta para que o PP faça parte do leque de sua coligação, a prefeitura de Livamento estaria no rol de negociações.


Acompanhem abaixo o texto de hoje fonte jornal do Comércio.

O PP decidiu nesta segunda-feira encaminhar proposta de aliança com o PSDB da governadora Yeda Crusius. Na corrida pela reeleição, a chefe do Executivo gaúcho já conta com o apoio do PPS. PP quer indicar o vice na chapa majoritária e garantir apoio incondicional à candidatura ao Senado Federal. A resposta dos tucanos é aguardada até a próxima sexta-feira, quando ocorre o lançamento da pré-candidatura de Ana Amélia Lemos.Os progressistas vão cobrar ainda o compromisso de que acordo aconteça também nas chapas proporcionais à Assembleia e à Câmara.

Durante a reunião da executiva em Porto Alegre, das 26 coordenadorias do Interior, 20 levaram ao partido o voto pelo apoio a Yeda. Além das bases, o diretório contou com pesquisa encomendada ao instituto Índex. Apesar dos números desfavoráveis a Yeda, que enfrenta rejeição de 47,1% e teve seu governo avaliado como péssimo por 38% dos entrevistados, o PP optou pelo PSDB. Entre as manifestações, houve quem pediu paciência sobre o acordo. O prefeito de Pelotas, Adolfo Fetter Jr., ressalvou que é preciso unidade na decisão. "Ir para a eleição de qualquer jeito, sob a alegação de estamos perdendo tempo é um erro."
O encontro na Capital foi comandado pelo presidente do PP, Pedro Bertolucci. "Vamos encaminhar ao PSDB a aliança. Se não forem aceitas as condições passaremos a tratar com outros partidos", garantiu, sinalizando que o PP conta com alternativas, como apoiar o PMDB, que já fechou com o PDT, ou compor com o deputado federal Beto Albuquerque (PSB), que confirmou, no final de semana, a manutenção de sua candidatura.

Direto do blog da Luciana Genro, sobre a divida e as contas do Brasil.

Na última quarta-feira, 14 de abril, Guido Mantega, ministro da Fazenda, e Henrique Meireles, presidente do Banco Central com status de ministro – “beneficiado” por Lula, em decorrência de acusações que lhe pesam de evasão de divisas, sonegação fiscal e falsidade ideológica – estiveram presentes na Câmara dos Deputados, em depoimento à CPI da Dívida Pública.



Conforme era de se esperar, destilaram otimismo. O endividamento não é preocupante. Para o ministro da Fazenda, a dívida líquida do setor público apresenta uma queda nos últimos anos, as taxas de juros foram reduzidas e o prazo dos títulos da dívida ampliados. A própria dívida externa também seria um problema superado, pois o acúmulo de reservas cambiais nos dá garantias, segurança e capacidade de pagamento. Sobraram elogios até mesmo para a política monetária e as suas metas de inflação, com Mantega enfatizando que não sofremos mais a ingerência do FMI e de bancos internacionais na gestão macroeconômica.

O ministro, que já teve um passado acadêmico com tinturas marxistas, desprezou fatos históricos banais. A adoção da política monetária baseada no modelo de metas inflacionárias, a política fiscal com o objetivo de se alcançar pesadas metas de superávit primário e o regime de câmbio flutuante – características da atual política macroeconômica – foram exigências do último acordo celebrado com o FMI, ainda no tempo de FHC. É verdade que o acordo não mais existe formalmente, mas as políticas recomendadas pelo Fundo deitaram raízes profundas nas cabeças dos nossos dirigentes, a ponto de fazê-los esquecer do passado recente. Com relação à ingerência dos bancos internacionais, talvez o ministro da Fazenda tenha razão: o comando do Banco Central do Brasil por um executivo, ex-presidente mundial do Bank of Boston, como é o caso de Meireles, talvez não se configure propriamente em uma ingerência, mas sim numa intervenção direta de um credor internacional.
Seria tudo apenas patético, não fora a tragédia que essa mesma política representa para milhões de brasileiros que continuam carentes de políticas públicas de qualidade e eficiência, em áreas básicas como a educação, a saúde, a habitação popular, os transportes públicos ou o saneamento.
Conforme tenho constantemente enfatizado, todas essas políticas têm se degradado a olhos vistos nos últimos anos. E dificilmente qualquer análise séria sobre as razões desse processo poderá deixar de lembrar que os recursos públicos para investimentos nessas áreas ficam extremamente prejudicados com as despesas crescentes que as políticas monetária e cambial em vigor acarretam para as contas públicas.

A carga de juros paga anualmente aos credores da dívida pública é gigantesca, nunca inferior a R$ 150 bilhões. No ano passado, por exemplo, chegou ao montante de R$ 169 bilhões, incluindo as despesas da União, de estados, e de municípios, de acordo com o próprio ministro.
Conforme o importante trabalho realizado pela Campanha pela Auditoria Cidadã da Dívida, no ano de 2009, 36% das despesas realizadas no âmbito do Orçamento Geral da União – equivalentes a R$ 380 bilhões!! – foram usadas no pagamento de juros e amortizações. Guido Mantega contestou esse dado, pois ele não considera adequada a inclusão das despesas com o pagamento das amortizações, nesse cálculo.
O deputado Ivan Valente, do PSOL de S.Paulo e proponente original da CPI, lembrou ao ministro que a própria MP 435/2008 permitiu que o Executivo desviasse bilhões de reais de diversas áreas sociais – incluindo recursos da União, arrecadados pela receita dos royalties do petróleo, objeto de recente e ferrenha disputa entre os estados, justamente para o pagamento de amortizações.
Mas nada disso parece abalar as convicções otimistas dos ministros.

A dívida interna em títulos do governo federal ultrapassa hoje a R$ 2 trilhões. Quando Lula assumiu o governo, em janeiro de 2003, a dívida era de R$ 687 bilhões. Se lembrarmos que em janeiro de 1995, quando do início dos governos de FHC, essa dívida era de apenas R$ 59,4 bilhões, dá para se ter uma idéia do que estamos falando em termos de comprometimento das finanças públicas. Com esse tipo de política, baseada em altíssimas taxas de juros, abertura financeira e todo tipo de incentivo à especulação, especialmente por parte de quem têm acesso aos mercados internacionais, não há condição de muita margem de manobra para que políticas voltadas para a maioria da população sejam contempladas com recursos financeiros suficientes
Nossos atuais dirigentes não se importam com esse tipo de dado. Talvez lhes interessem mais os elogios que a banca internacional, e a tupiniquim, vivem a fazer ao atual governo brasileiro.
Talvez prefiram mesmo observar o crescimento econômico sustentado por uma economia de endividamento das famílias, a partir de mecanismos de crédito em expansão e a um custo financeiro extremamente elevado, com as maiores taxas de juros do mundo. Afinal, a política de valorização do salário mínimo, os programas de transferência de renda aos miseráveis e a geração de empregos de baixa remuneração e qualidade, atende aos mais pobres. Com uma enorme demanda reprimida por bens e serviços, esses setores impulsionam o mercado interno e ao menos até o momento permitem que os dirigentes da economia e da política possam capitalizar o relativo desempenho observado, em particular na comparação com FHC.
Contudo, nem tudo são flores.
O que permitiu essa aparente transformação dos efeitos do mesmo modelo, na comparação entre os governos FHC e Lula, foi a conjuntura econômica internacional e especialmente os resultados das contas externas do país.


Desde 2003, o furor exportador brasileiro de commodities agrícolas e minerais foi contemplado pela demanda asiática, puxada pela economia chinesa, e permitiu que o Brasil passasse a ter saldos positivo nas nossas transações correntes com o exterior, algo inédito na história recente do Brasil.

Porém, essa primavera se encerrou em 2008, quando voltamos a contrair resultados negativos em nossa conta corrente. De um saldo recorde, em 2005, de US$ 14 bilhões, passamos a um déficit de US$ 28,3 bilhões, em 2008, e um resultado novamente negativo, em 2009, de US$ 24,3 bilhões. Para esse ano, o próprio Banco Central projeta um déficit em conta corrente de US$ 49 bilhões, resultado de um saldo comercial que despenca – em 2006, chegamos a um resultado recorde de US$ 46,5 bilhões, e para 2010 a projeção é que tenhamos um saldo de apenas US$ 10 bilhões. Como a nossa conta de serviços é estruturalmente deficitária, e estimada em US$ 59 bilhões para esse ano, o Banco Central chegou a essa estimativa de déficit de nossas transações correntes, resultado da combinação das projeções feitas para os resultados da conta comercial e de serviços.
É interessante notar que, nessa projeção do déficit da conta de serviços, a estimativa do Banco Central é de uma despesa, somente com remessa de lucros e dividendos, em 2010, da ordem de US$ 32 bilhões, e, com o pagamento de juros da dívida externa – que para Lula acabou, e que para Mantega não é mais um problema – a conta fique em US$ 8,3 bilhões.
Seria talvez importante que ambos conversassem, com mais cuidado, com o banqueiro Henrique Meireles.


Paulo Passarinho é economista e presidente do Corecon/RJ

domingo, 18 de abril de 2010

Ciro Gomes e Beto Albuquerque desistirão da candidatura própria?

O PSB, sempre foi satélite do PT, cresceu assim, hoje possui vários estados sob seu comando, assim como senadores, deputados federais e estaduais.

Nunca teve coerencia alguma hora com a ultra direita, hora com a falsa esquerda para chegar ao seu objeitvo de governar, não mediram esforços. Vide aqui em Livramento, onde Wainer fez aliança com o PSDB de YEDA de Bernardo, ao qual era o maior, ou o mais feroz critico da rádio ao seu governo, somente com o abjetivo de reeleger, para isso teve que dar a Vice para o Gornatti, criar 5 secretarias e 40 cargos de cofiança. Teve apoio de todos os vereadores, digo todos e afirmo, pois o Melado do PTB, votou a favor públicamente, os ditos opositores, Germano/Coronel/PTB, Carine PMDB, Glauber do PT, nada fizeram para impedir que assim fosse, vide agora o caso do estacionamento rotativo, onde demogógicamente o Coronel PTB, fez um abaixo-assinado para o governo retirar o projeto, muito  bem porque não fizeram abaixo assinado para a Santa Casa não fechar, para impedir a criação das secretarias e dos cargos de confiança.

Li outro dia que a negociação para que o Beto conseguisse uma aliança com o PP, Wainer disponibilizaria secretarias para o PP na prefeitura.
Mais adiante poderão ler que Wainer apoia claramente um aliança com Fogaça do PMDB, não é de duvidar que o PMDB local entre para o governo municipal, como moeda de troca nessa possivel coligação.

Estão racahdos, mas estão todos juntos.......
[
Tanto no governo federal , estadual quanto municipal,
é necessário que o povo santanense não esqueça que foram eles os responsaveis pelo fechamento do Hospital Santa Casa por 5 meses, deixando nossa população ao merce e caos social, sendo que até hoje não sabemos os dados de quantos morreram neste periodo.

De concreto temos 106 trabalhadores demitidos, sem receber nada, mães chefes de familias desamparados, pela incopetencia e irresponsabilidades dos govenros, que preferem destruir o que temos, para fazer algo bem menor e dizer fui eu que fiz.
Esta chegando a hora de dar um basta, mostrar a nossa indignação, com a situação em que encontra a nossa cidade e região, expurgando todos estes políticos e seus partidos, através do voto nossa úncia arma.



Acompanhem a matéria sobre Ciro e Beto dos jornais.......

Magoado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e na iminência de o PSB negar-lhe a candidatura à Presidência, Ciro Gomes decidiu mergulhar no isolamento. Há 20 dias, não fala com seus correligionários. O deputado se diz "injustiçado" pelo PSB, pelo PT e por Lula, que agiram para impedir alianças em torno de sua candidatura.


A gota d?água para a insatisfação de Ciro foi a visita da pré-candidata petista Dilma Rousseff ao Ceará, no início da semana passada. O Estado é o principal reduto eleitoral do socialista. Coube à ex-mulher de Ciro Gomes, a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE), verbalizar a mágoa do deputado com o governo. "Não havia necessidade de a Dilma ir lá nesse momento. Foi um desrespeito ao Ciro por tudo que ele sacrificou pelo governo Lula."

Ciro sempre manifestou lealdade ao presidente Lula, lembra Patrícia. Transferiu seu domicílio eleitoral do Ceará para São Paulo, a pedido do presidente, com a finalidade de deixar uma porta aberta à possibilidade de disputar o governo paulista com o apoio do PT.

Lideranças do PSB também acusam o governo de intervir junto aos partidos para minar as alianças em torno do nome de Ciro. O partido chegou a oferecer a vice-presidência ao PP do senador Francisco Dornelles (RJ). Também conversaram com o PTB do ex-deputado Roberto Jefferson, aliado de Ciro nas eleições de 2002. O PTB optou, no entanto, pelo apoio à candidatura do tucano José Serra.

"Não digo que teve uma interferência direta do presidente Lula. Mas o PT tem feito essa interferência não só no plano nacional como nos Estados. O PT está usando sua força para nos isolar", reclamou o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral. "De fato, a força do governo impediu que o PSB pudesse conseguir alianças", emendou o secretário-geral do partido, senador Renato Casagrande (ES).

Além da interferência nas possíveis alianças, Ciro Gomes também está decepcionado com a falta de qualquer gesto, pelo presidente Lula, de apreço político ou prestígio. Afinal, como o próprio Ciro gosta de lembrar, ele foi um dos mais fiéis aliados de Lula na época do escândalo do mensalão. Mas, até agora, não há sinal do Palácio do Planalto de entendimento com o deputado em troca de sua desistência da candidatura presidencial. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.







Zero-Hora 18 de abril de 10.

Caso se confirme a retirada da candidatura própria, o destino do PSB nas eleições para governador divide o partido no Rio Grande do Sul. A decisão de apoiar o PMDB de José Fogaça ou o PT de Tarso Genro coloca em campos opostos alguns dos principais líderes regionais da sigla.

A discussão sobre o rumo a ser seguido pelos socialistas será aprofundada hoje, em uma reunião da executiva estadual, e deverá se estender até o próximo sábado.

Oficialmente, o partido mantém o discurso de esgotar todas as possibilidades de buscar sustentação política antes de desistir da corrida pelo governo gaúcho. Porém, o acordo do PTB com o DEM, e a tendência de o PP apoiar a reeleição de Yeda Crusius (PSDB) dificultam a candidatura do deputado federal Beto Albuquerque por restringirem suas alianças ao PC do B.


O deputado estadual Heitor Schuch afirma que não está “esgotada ou eliminada por completo” a possibilidade de a sigla liderar uma chapa, mas admite que se trata de uma “pequena esperança”. Assim, ganha volume o debate sobre o destino do partido.


– Temos duas correntes bem posicionadas. Uma que quer voltar a fazer parte de uma frente de esquerda, e outra que entende que já estivemos ali, tivemos nosso aprendizado, e podemos ter outro projeto – revela Schuch.


A reunião da executiva deve dar início à fase de definições. Mas apenas no próximo sábado, após o encontro do diretório estadual, o futuro da sigla deverá se aclarar. Schuch adianta que, caso Beto deixe a disputa, defenderá a união com o PT.


– Temos de fazer a nossa inclinação por um projeto de esquerda, e me parece que quem está mais posicionado é o Tarso – argumenta.

Prefeito de Santana do Livramento, Wainer Machado se mostra inclinado a defender um acordo com o PMDB. Ele ilustra um dos argumentos da ala pró-Fogaça: o desgaste sentido em administrações petistas às quais prestaram apoio. Ele acredita que os aliados costumam ficar em segundo plano nos governos do PT.
“Sabemos como o PT age”

Wainer Machado (PSB), Prefeito de LivramentoO prefeito Wainer Machado (PSB) participou do governo Olívio Dutra, mas agora resiste a um acordo com o PT. Confira um trecho da entrevista:

Zero Hora – O senhor defende qual estratégia para o PSB: candidatura própria ou coligação?


Wainer Machado – Tenho visão firme da candidatura própria. É um desejo nosso, foi nossa primeira decisão e temos vontade de mantê-la.

ZH – Sem a candidatura própria, quem o PSB deve apoiar?

Machado – Já estivemos no governo com o PT, e sabemos como ele age com os aliados quando está no poder. Tu não fala com o governador, fala com a tendência. Acho também que o PT é nosso adversário em vários lugares. Temos de buscar um entendimento que privilegie as nossas propostas para o governo e uma relação de construção de futuro.

sábado, 17 de abril de 2010

A semana vista pelo PSOL



Governo propõe zero de aumento para o salário mínimo no ano que vem

O Poder Executivo encaminhou nesta quinta-feira, 15, ao Congresso o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2011, que prevê um salário mínimo de R$ 535,91 no ano que vem, ou seja, um reajuste de apenas 5%. Esse reajuste mal cobre a inflação. Na prática, o salário mínimo será congelado no ano que vem, prejudicando os trabalhadores e aposentados.Enquanto aposentados brigam por aumento de 3%, diretores de bancos privados ganharão 50% a mais em 2010


Enquanto os aposentados que ganham acima de um salário mínimo sofrem tendo de negociar reajustes de cerca de 3% acima da inflação (INPC), existe um segmento no país cujos vencimentos são imensos, e ainda crescem assustadoramente: os diretores de bancos privados. Nesta semana, o jornal Valor Econômico revelou que os ganhos da direção dos quatro maiores bancos brasileiros crescerá 50% neste ano.

O ganho médio por diretor também é assustador, e chega a R$ 7,9 milhões anuais no banco Itaú, R$ 3,69 milhões no Santander e R$ 1,13 milhão no Bradesco.Tais dados foram divulgados por exigência da CVM – Comissão de Valores Mobiliários, porém, alguns bancos entraram na Justiça para não divulgar o valor máximo pago aos executivos.Cabe ressaltar ainda que nesses valores não estão incluídos os lucros de dezenas de bilhões de reais anuais dos bancos, já que o pagamento aos diretores entra como despesa das instituições financeiras.Enquanto os diretores dos bancos ganham milhões de reais por ano, às custas do povo – que paga os impostos que são destinados ao pagamento da dívida, que gera os imensos lucros dos bancos -, a maioria dos aposentados ganha um salário mínimo. E enquanto os executivos dos bancos aumentam seus ganhos em 50%, quando se propõe um aumento maior para os aposentados, o governo e a grande imprensa dizem que isso “quebraria o país”.


Henrique Meirelles e Guido Mantega comparecem à CPI da Dívida


Na quarta-feira, 14, a CPI da Dívida realizou audiência com o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que tentaram argumentar que a dívida está sob controle. Segundo eles, a “Dívida Líquida do Setor Público” apresenta queda nos últimos anos. Mantega enfatizou que a dívida externa não representa maior problema, devido ao grande acúmulo de reservas cambiais, e que atualmente não há ingerência do FMI ou de bancos internacionais nas políticas econômicas do país. Meirelles defendeu o atual regime de metas de inflação, que segundo ele garante estabilidade.O relator Pedro Novais (PMDB/MA) discordou dos ministros, mostrando que o dado que deve ser considerado é a dívida bruta, e não a líquida, visto que muitos ativos do país não podem ser utilizados para o pagamento da dívida.O deputado Ivan Valente (PSOL/SP), proponente da CPI da Dívida e autor do requerimento de convocação de Henrique Meirelles, também discordou dos representantes do governo, mostrando que o dado da “dívida líquida” não representa o real custo do endividamento, pois tal dado já aparece descontado das reservas cambiais, que não rendem nada ao país. Por outro lado, o país paga a maior taxa de juros do mundo na dívida interna. Valente afirmou também que o governo federal continua aplicando as políticas do FMI, e destina 36% do orçamento para o pagamento da dívida.
O relatório final da CPI deve ser apresentado no dia 20 de abril, às 14h30min , no Plenário 4 do Corredor das Comissões.


Governo consegue manter leilão da Usina de Belo Monte para dia 20


Nesta semana, a Justiça Federal concedeu liminar que impedia o leilão da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, por violação da legislação ambiental. A Advocacia Geral da União recorreu contra esta decisão, e conseguiu cassar a liminar nesta sexta-feira, 16.Uma idéia que sempre é colocada pela grande imprensa e pelo governo é que a construção de grandes hidrelétricas é a única saída para haver “desenvolvimento econômico”. Porém, um aspecto muito pouco discutido pela grande imprensa é o destino de grande parte da energia gerada pelas hidrelétricas no país. Mais de 30% vai para empresas eletrointensivas, que consomem grande quantidade de recursos naturais e que costumam exportar produtos semielaborados (celulose, alumínio etc.) de baixo conteúdo tecnológico. Esse sistema se aproveita da chamada Lei Kandir, aprovada em 1996, e que isenta de ICMS a exportação de produtos básicos e semielaborados, sob a justificativa de garantir os dólares necessários para o pagamento dos compromissos com o exterior, como a dívida externa e a remessa de lucros das transnacionais.Além do mais, fontes alternativas de energia são deixadas de lado pelo governo. O Programa Energia Alternativa Renovável, do governo federal, dispunha de uma quantia ínfima em 2009: pouco mais de R$ 3 milhões, ou seja, 10 mil vezes menos que a previsão de custo total de Belo Monte. O objetivo desse programa é desenvolver projetos de plantas para a geração de energia de fonte solar, eólica, e até mesmo de rejeitos urbanos (lixo), resíduos agrícolas e oleaginosas. Fazem parte também deste programa as mini e micro centrais elétricas.
Porém, como se não bastasse a quantia ínfima de recursos para o programa, o governo federal não gastou nenhum centavo destes R$ 3 milhões no ano passado.

LIXÃO NÃO


Hoje participei da manifestação contra a colocação da área de transbordo do lixão na localidade da subida da serra/santa rita, rincão da bolsa, promovida pela associação dos moradores, apoiada por várias ongs, CEPERS, PSOL, Escolas, Liberato, Júlio de Castilhos, General Neto, Cirino de Azevedo, Professor Chaves, Hector Acosta, Dr. Élbio, Polivalente, Alceu Wamosy.

O documento diz.
"LIXÃO NÃO"
Associação de Moradores da região da Subida da Serra/Santa Rita.Este problema também é seu. Estamos vivendo um momento decisivo em nossas vidas, corre sério risco de contaminação, o aquifero guarani, este que abastece toda a nossa fronteira com " a melhor água do mundo", por isso, junte-se á essa luta.
Se houver a "área de transbordo" na nascente do aquifero guaranim haverá enorme possibildades da á gua ficar contaminada. E isto prejudicará a todos"

Toda a mobilização contra a exploração e contaminação dos recursos naturais, tem nosso apoio, somos ecosocialistas por natureza, preservar, cuidar e nosso objetivo.

Manifestações como esta organizada pela associação com apoio do CEPERS sindicato, além de presionar o prefeito para que retire o projeto que prejudica a população local, cria condições para que o assunto de altissima relevancia como o Aquifero Guarani seja debatido nas salas de aulas da escolas de nosso municipio, aumentando a consciencia ambiental em todos os níveis.

Por outro lado nós do PSOL que temos o compromisso e a responsabilidade de consturir propostas de governo que venham ao encontro com as demandas democraticas do povo e a da juventude na questão do meio ambiente.
Nos postulamos ao poder através do nosso candidato Dr Pedro Ruas ao governo do estado, comprometido com o meio ambiente e sua preservação.

Parabéns aos que participaram da caminhada em especial a juventude, prof. Juca Sampaio, Sandra do estadual e a Associação de moradores.

Rogério Benites pré-candidato a deputado federal PSOL.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Luta conjunta pela UERGS, A platéia


Quem disse que PT e PSol não podem estar juntos? Em Livramento, estão, sim, desde ontem. Não se trata de nenhuma dobradinha eleitoral ou coligação, mas sim em uma luta conjunta para salvar a Universidade do Estado do Rio Grande do Sul-Uergs, que vem enfrentando conhecidas dificuldades para se manter. A situação da Universidade levou o presidente do diretório municipal do PSol, Rogério Benitez, a procurar na tarde de ontem o escritório politico da deputada federal Emília Fernandes, acompanhado por um grupo de alunas do campus local da universidade. Benites conversou com o radialista Dagberto Reis, coordenador do escritório da deputada, sobre o apoio dela a uma emenda da deputada federal Luciana Genro, do PSol-RS, no valor de R$ 200 mil, específico para o campus local da Uergs, para aquisição de equipamentos de informática. O percentual destinado no orçamento do Estado para a Uergs foi reduzido para 0,22%, o que praticamente inviabiliza a universidade. A reunião teve ainda a participação do professor Anor. Dagberto reafirmou o compromisso da deputada Emília com a universidade pública e gratuita, garantindo o encaminhamento da demanda que, segundo ele, certamente terá o apoio da parlamentar. "A Uergs deve ser vista como uma política de Estado e não como uma questão ideológica, como uma estratégia de desenvolvimento regional", disse Dagberto,e cumprimentou Rogério pela iniciativa. Os alunos aproveitaram para reivindicar um laboratório para Uergs de Sant’Ana do Livramento. Dagberto ficou de encaminhar o pedido à deputada.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Lula admite que sabia do MENSALÃO

Em documento encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu pela primeira vez que sabia da existência do mensalão durante o seu governo. No texto incluído na ação penal que investiga o repasse financeiro a partidos da base aliada, Lula reconhece que teve conhecimento da prática durante uma reunião com o presidente do PTB, Roberto Jefferson (RJ), no primeiro semestre de 2005. As informações são do jornal Correio Braziliense.



No documento, Lula diz que a reunião contou com a presença dos ex-ministros Aldo Rebelo e Walfrido dos Mares Guia e dos deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP), José Múcio Monteiro (PTB-PE), além de Jefferson. Segundo o presidente, foi mencionado o assunto "repasse de dinheiro para integrantes da base aliada do governo federal na Câmara dos Deputados". Lula negou ter conversado sobre o esquema antes de o escândalo vir à tona com os principais envolvidos - o deputado cassado José Dirceu, o ex-tesoureiro Delúbio Soares, o ex-presidente do PT José Genoíno (SP), o ex-secretário-geral Silvio Pereira e o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP). Lula negou ainda ter conhecido o publicitário Marcos Valério, acusado de ser o operador do mensalão, e também rejeitou um suposto encontro na Granja do Torto.

Tava demorando....por Luciana Genro

A surpresa não foi realmente o fato de Arruda ter sido solto, mas sim o fato dele ter ficado na cadeia por dois meses. Era isso que todos comentavam ontem, ao saber que o ex-governador do DF havia conseguido a liberdade. Essa conclusão, verdeira, é o retrato da falta de credibilidade da Justiça, e do sentimento de impunidade que reina no país. Arruda não estava preso por que roubou, mas por que tentou obstruir a investigação. Mas se ele estava obstruindo a investigação, isso não é uma espécie de confissão? Afinal, se alguém é acusado injustamente tem o maior interesse na investigação. Mas esse tipo de raciocínio passa ao largo do nosso Poder Judiciário. A verdade é que a Justiça só é dura para quem não tem advogados pagos a peso de ouro. Mas Arruda tem e por isso só foi preso pelo clamor popular. Clamor popular, leia-se indignação e algum grau de mobilização. Agora que ambos arrefeceram ele conseguiu sair da cadeia. Será que vai voltar?

Jornais dizem...

Abro os jornais, leio

PTB de Lara/Zambiazi/Roberto Jefersson do MENSALÃO/Ico/Germano/Coronel/Melado, fecham acordo com o DEM de Feijó/ARRUDA do DF, do dinheiro nas cuecas, meias, panetones/de Edu,base do governo Wainer, para concorrerem juntos eleição deste ano.

O DEM é Vice do governo YEDA do PSDB, dos desvios de mais de R$ 44 milhões do DETRAN, dos desmanches da UERGS, do ataque ao funcionalismo público, da CORRUPÇÃO, do fechamento de hospitais.

O PSDB /Bernardo Fontoura, Vice de Wainer, do fechamento do hospital Santa Casa, das Demissões de 106 trabalhadores, sem pagar ninguém, resposáveis pelo caos social em que encontra nossa cidade, escandalos, falta de emprego, saúde, segurança e dignidade.

PTB, PSB também estão juntos na base do governo Lula,

Outros membros do governo YEDA como o PMDB/Fogaça/de Carine/João Antonio(Dos desvios da Santa Casa), OsmarTerra/ Eliseu Padilha(Denunciando pelo MP, corrupção), fechou uma aliança com o PDT/Marcirio(do Cemitério)/Moreira do Tren.
Terá que explicar os desvios de R$ 10 milhoes da Saúde de seu governo, e a morte do secretário Eliseu Santos, denunciado pelo MP, como queima de arquivo.

PMDB, PDT também são bases do governo Lula, o PDT base apoio do governo Wainer.

O PT, Lula/Dirceu/MENSALÃO/Sarney/Renan Calheiros/Collor/ de Tarso/Emilia/Glauber/cut/, que também são os responsáveis pelo fechamento da Santa Casa, pelas demissões, e falta de políticas públicas para a nossa cidade, são os mesmos que na assembléia legislativa jogaram para desgastar a YEDA em uma CPI, que eles sabiam que não daria em nada, traindo o povo e os trabalhadores mais uma vez, são os que estão a frente nas pesquisas, mas estão ficando isolados sem alternativas de coligação.

A outra via com Beto do PSB/Waiener/Batista/Nelmo, tenta coligar com o PP/Bassedas e principal envolvido nos desvios do DETRAN do governo YEDA, tanto PSB quanto PP são bases do governo Lula, não consegue se criar, chegou a ser proposto a participação do PP no governo Wainer, como moeda de troca pelo apoio.

Ou seja, DIDÁTICAMENTE, se houvesse as mesmas condições de disputa(financiamento de campanha pública, tempo de televisão).

O PSOL, através da candidatura do Ver. de Porto Alegre Pedro Ruas, seria a única candidatura viável, coerente, um partido que luta contra todas estas barbaries, corrupção, desvios de recursos, falta de saúde, trabalho, educação, um grande exemplo é a Deputada federal Luciana Genro e o presidente estadual do PSOL, Roberto Robaina, que pelo seu esforço e posição política merece ocupar uma vaga na assembléia legislativa como deputado estadual.

Portanto todos que não aceitam, a CORRUPÇÃO, as negociatas, as politicagens, as falsas promessas, as mentiras, as traições ao povo e aos trabalhadores, somente tem que se enganjar para juntos elegermos um veradeiro representante de todo o povo gaúcho, ele tem nome, é Pedro Ruas do PSOL.




Rogério Benites Pré -candidato  a deputado federal PSOL.

domingo, 11 de abril de 2010

CRISE NO 14 DE JULHO


Para quem desconhece a realidade do futebol profissional e seus vieses políticos, deve ter ficado indignado com os escândalos que aconteceu no último domingo no estádio João Martins, onde o treinador e alguns jogadores agrediram verbalmente aos torcedores, e vice-versa, baixando o nível com acusações inclusive discriminatórias, chegando as vias de fato, o caso foi parar na DP.

A verdade é que os jogadores do 14 de julho, além de estarem com os salários atrasados, tiveram que sair as pressas do hotel que estavam, a dois meses atrás por falta de pagamento, a divida em torno de R$ 16 mil somente com o hotel. Ficaram instalados no próprio estádio, dormindo em toalhas, colchões improvisados, comendo no mesmo local, ou seja, sem as mínimas condições.

Foi por isso a um mês atrás que todo o grupo do 14 adoeceu, depois de se alimentarem ao meio dia, desligaram o equipamento que aquece o alimento, e quando voltaram religaram e comeram a mesma comida, detalhe a um mês atrás fazia 40° de calor, o resultado não poderia ser outro. A comida teria sido doada pelo DAE, e a responsabilidade é de quem?

A direção do 14 de julho, através de seu presidente ex-candidato a vereador (PTB), e apoiador da candidatura ICO/PTB (fundergs), do governo corrupto de Yeda, argumenta que a parceria montada com empresários teria que dar as condições para os atletas.

A torcida, no seu direito de torcedor apaixonado pelo seu time do coração, que paga seu ingresso caríssimo para a realidade local preço mínimo R$ 10, portanto está no seu direito de consumidor de assistir um jogo de futebol seguro e agradável, não sabe dos problemas reais do clube que não saem no jornal.

Portanto é necessário os torcedores e a sociedade santanense saber onde estão sendo usados os recurso públicos que são destinados para o 14 de julho, a câmara de vereadores destina todos os anos R$ 20 ou R$ 30 mil, a FUNDERGS quanto mesmo?

E a piscina do 14, que quando repassasse para o clube seria para pagamento dos atletas?

Quantos sócios o 14 de julho possui mesmo?

Pergunto-me porque a direção não coloca uma sede no centro da cidade para atrair mais sócios?

Será que é para os torcedores e a população, não disputarem o comando do clube contra eles?

Percebe-se claramente o interesse em manter a situação, crises, escândalos, corrupção, e o time sempre, eternamente na 2 ° Divisão.

Usam o amor e lealdade que os torcedores demonstram pelo 14 de julho, para se manterem na mídia, usando a instituição centenária para transacionar recurso públicos com fins não tão nobres. Até quando só Deus sabe.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Inverno está chegando.........

O que dizer quando o inverno está chegando e com ele o frio, chuva a geada, as doenças respiratórias, asma, alergias, pontadas, os idosos e as crianças são os mais vulneráveis.


Os postos de saúde, quando abrem , não têm as mínimas condições de atender com dignidade a nossa população, isso se houver médicos, prepara a guaiaca para comprar a medicação, farmácia é que não falta, Livramento tem 66 registradas, rx para daqui um mês, exames não sei quando autorizar, se o caso for mais grave e lhe for indicado internar seu filho por exemplo.

Agora sim comecei a pensar porque reabriram a Santa Casa, porque o inverno está chegando¿ porque é ano eleitoral¿ porque não dava mais pra agüentar a pressão da sociedade¿ . Mas ....quem perdeu com tudo isso, o povo e os trabalhadores é claro, pois sempre, sempre foi assim, o povo ficou sem hospital por 5 meses, os trabalhadores sem trabalho, sem salários. Ah mas agora o hospital reabriu¿ sim, mas, pequeno, com poucos leitos pelo SUS, não se sabe ao certo o número e as enfermarias, ninguém sabe qual o serviço contratado com os médicos, por exemplo, quanto e como, sabemos que no inverno a demanda pelos leitos será grande e certamente os leitos fechados pelos governos do Wainer/Yeda/Lula , farão falta para nosso filhos, pais e avós, teremos que cuidar e muito, e, ajudar para não fechar novamente, se voltar acontecer será definitivo, para a alegria de muitos anônimos empresários e políticos de plantão.

O inverno chegou e mais uma “campanha do agasalho”, onde o povo ajuda os mais necessitados e a 1 dama faz a cortesia, viés politiquiero com o chapéu alheio. Quando chegará o dia em que todos possam comprar sua roupa, tecer seu pulôver¿ talvez, nunca acontecerá, pois os falsos representantes do povo necessitam da miséria, do assistencialismo para se promoverem com a dor e o sofrimento do povo.

Talvez algum dia possamos fazer diferente, através de um trabalho de grupo de mulheres aposentadas, ou voluntárias sem viés político, seria digno de um governante de respeito.

E assim caminha a humanidade, e nossa sociedade, com o 14 de julho e seu viés político aos pedaços, todos batendo cabeça, porque se deram conta de uma coisa que está acontecendo, nada, nada é certo, mais certo que a mudança......

terça-feira, 6 de abril de 2010

Santa Casa de Livramento continua a sofrer.....

Enquanto isso em nossa aldeia chamada Livramento, continuamos com a luta para manter o caos em níveis suportáveis, pois o desgoverno fica claro, explicito para a população, vide o fechamento do Hospital Santa Casa por 5 meses, deixando um saldo catastrófico para o povo que teve que ser atendido em outras cidades, que tiveram seus filhos nascidos em outro país, que tiveram seus familiares mortos, o número ninguém sabe a sua totalidade. Os trabalhadores demitidos mais de 100 em sua maioria mulheres, chefes de famílias que discriminatoriamente foram colocadas para fora do hospital sem receberem as verbas rescisórias, e o que é pior com a anuência e concordância da direção do próprio sindicato da saúde.

Mas, para muitos a única saída para o hospital era essa, quase a totalidade dos atores que dominam a mídia escrita e falada, era a dita gestão do Mãe de Deus.


Nós do PSOL lutamos de todas as formas pelo hospital, articulando emendas através do mandato da nossa deputada federal Luciana Genro em beneficio do hospital num montante de R$ 1.050,000 Um milhão e cinqüenta mil reais. Na eleição de 2008, quando fui candidato a prefeito, denuncie a perseguição aos trabalhadores, o aparelhamento político, e posteriormente os desvios de mais de R$ 500 mil reais e provamos que lá existia uma administração fraudulenta e corrupta, que deu base para reeleger o prefeito e os vereadores atuais.


Contudo uma grande parcela da população e dos trabalhadores foram enganados, com mentiras e falsas promessas de campanha eleitoral, haja vista que Wainer/Ico e Elifas estiveram lá dentro do hospital afirmando que caso fossem eleitos, tinham o compromisso de manter o hospital de portas abertas, e de que os trabalhadores não sofreriam nenhuma perda, afinal de contas estavam recebendo em dia, o hospital estava na linguagem da gurizada, bombando, tinha gestão da qualidade, gestão financeira, de competência e tudo mais, páginas e páginas no jornal a platéia.

Mas infelizmente o hospital acabou fechando, e resultado citado acima todos conhecem. Se não fosse a pressão da sociedade através da ACIL o hospital não reabriria, graças a Deus reabriu para a felicidade de todos.

Temos muitas contradições com essa administração do Mãe de Deus, além das demissões injustas e desrespeitosas, que criaram mais caos social com desemprego e recessão em nossa cidade.


Nós não concordamos e estamos aqui denunciando, a direção do hospital Mãe de Deus, que propalou uma nova gestão, mas continua com as práticas antigas de perseguição aos trabalhadores, haja vista que foram demitidos 11 trabalhadores com estabilidade sendo, sete membros da direção do sindicato e 4 membros da CIPA e a não garantia dos direitos trabalhistas.


E por último, pasmem senhores no domingo dia 5 de abril, os pais do João Vitor procuraram o plantão do hospital para receberem atendimento de urgência, pois seu filho um bebe de colo com poucos meses, estava com febre, peito apertado doente, não quiseram atende-lo porque não possuía documentação brasileira, desta forma não podia ser atendido. Mesmo sendo informados de que os documentos estavam sendo agilizados em Brasília, pois seu filho nascera no Uruguai no período em que o hospital estava fechado, mesmo assim o atendimento foi negado.

Quem de sã consciência, não respeita o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), quem não é um pai ou uma mãe que nega a assistência a um bebe, merece nosso respeito, esta é a gestão do Mãe de Deus? tenham certeza que colocarão as culpas nos funcionários, como sempre a corda rebenta do lado mais fraco.


Nós não aceitamos, e vamos cobrar do prefeito/governadora/presidente, seja de quem for nossos direitos, portanto hojo com essa gente, com os salvadores da pátria.


Sabemos da dificuldade do hospital e vamos lutar como sempre para mantermos de portas abertas, tenho certeza que desta forma estamos ajudando a salvar vidas, e que no futuro não venha a acontecer esses absurdos atos de selvageria e desumanidade com o nosso povo.


Povo de livramento não se deixe enganar mais uma vez, as eleições estão ai, eles os partidos tradicionais e seus governos corruptos, irão tapar suas mentes de falsas promessas, com muitos milhões de reais, desviados do erário público.


É chegada a hora de dar um basta a esses corruptos que desviaram mais de R$ 500 mil do hospital, nos governos Wainer/Yeda/Lula que nos abandonaram, ou alguém pode me dizer que não foi no governo deles que o hospital fechou por 5 meses.

Em defesa da verdade e da saúde: CPI já!

Logo após a entrevista coletiva do Ministério Público Estadual sobre a morte encomendada do secretário municipal da Saúde, Eliseu Santos, nesta segunda-feira, 5, o vereador Pedro Ruas pronunciou-se na tribuna do Legislativo de Porto Alegre. Ele disse que, enquanto o MP investiga o crime e suas causas, a Câmara de Vereadores deve investigar os indícios de corrupção e propinas na Secretaria da Saúde. “O importante para os vereadores é a investigação do desvio de milhões de reais de dinheiro público. Existem indícios sobre a empresa Reação e já está provado o desvio de R$ 9,6 milhões pela empresa Sollus.”




Pesquisa espontânea realizada pelo instituto Datafolha revelou que a saúde é o maior problema do nosso estado. A prefeitura de Fogaça é marcada pelo fechamento de postos, péssimas condições de trabalho para os servidores da área e cortes de recursos. Fogaça em sua campanha prometeu a abertura de 200 postos de Saúde da Família em Porto Alegre. Não cumpriu nem a metade dessa meta.



Como se não bastasse o descaso do prefeito com essa área básica e tão carente que é a saúde, ainda foram desviados R$ 9,6 milhões pelo Instituto Sollus, contratado sem licitação pela prefeitura para gerir o Programa Saúde da Família. Em meio a esse lamaçal, ocorre ainda a morte de Eliseu, assassinado por encomenda conforme a apuração do Ministério Público.



Não podemos aceitar que a saúde pública seja tratada dessa forma e os culpados saiam impunes. Por isso que o PSOL apresentou na Câmara um pedido de CPI, de iniciativa do líder da oposição, Pedro Ruas, para investigar essas irregularidades e o desvio realizado por diversas empresas. É necessário que a população de Porto Alegre se mobilize para cobrar que a CPI aconteça, sendo ainda necessária a assinatura de, apenas, mais um vereador.



A bancada municipal do PSOL chama a população para se somar na mobilização que será realizada nesta sexta-feira, 9, às 12h, na Esquina Democrática, centro da Capital. Apenas a mobilização popular pode garantir que esse escândalo não termine em pizza.



Exigimos a instalação imediata dessa CPI!

Exigimos que todo o dinheiro roubado seja devolvido aos cofres públicos!

Exigimos saúde pública de qualidade para todos os porto-alegrenses!



Fonte: fernandapsol.com.br

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Era mesmo execução! Por Luciana Genro

Quem acompanha o meu blog e o twitter leu o comentário que eu fiz logo após o anúncio da polícia de que Eliseu Santos havia sido vítima de uma gang de roubo de carros, e que portanto a tese da execução estava descartada. Eu disse que se alguém quisesse executá-lo certamente iria contratar uma quadrilha para fazê-lo, e que disfarce melhor do que simular um roubo de carro?




Em artigo que enviei para a Zero Hora e para o Correio do Povo, que nenhum dos dois quis publicar, sob o t ítulo “Um assassinato político?” escrevi que “o assassinato do ex-vice-prefeito e secretário da Saúde, Eliseu Santos, pode até ter sido um latrocínio, mas tem características de crime político.”



A verdade é que a Polícia Civil se precipitou ao descartar a tese de execução, e os vínculos de um importante delegado com o suposto mandante são um indício das razões desta precipitação. Mas vou além. A Polícia só descartou tão rapidamente a tese de execução porque sabia que o interesse do “status quo” no Estado era este. Afinal, um secretário assassinado por envolvimento em caso de corrupção no governo Fogaça é uma bomba numa campanha eleitoral que se avizinha. Principalmente sendo o próprio prefeito em cujo governo ocorreram as irregularidades um dos principais candidatos. A própria imprensa foi rápida em jogar toda a sua força para a tese do assalto, antes mesmo da polícia dar seu veredito. Para um dos veículos que enviei meu artigo, já no dia seguinte ao assassinato, o jornalista responsável por definir o que seria publicado na página de opinião disse que não iria publicar meu artigo por que eu estava sendo “precipitada” e que logo a polícia descartaria a tese de execução. Por coincidência, foi exatamente o que aconteceu!



Este era o parágrafo final do meu artigo não publicado: “A política gaúcha está num momento decisivo. PC Farias, Celso Daniel e Marcelo Cavalcante estavam envolvidos com gangues corruptas. Apesar das teses de crimes comuns ou suicídio, as mortes seguem nebulosas. Isso não pode se repetir com a morte de Eliseu Santos.É preciso investigar a fundo para não permitir que assassinatos por encomenda sejam incorporados aos costumes políticos do Estado. Há várias semanas o vereador do PSOL e agora líder da oposição na Câmara, Pedro Ruas, luta pela instalação de uma CPI sobre os desvios promovidos pelo Sollus. Até a morte de Eliseu ele não havia obtido as adesões necessárias. Agora espera-se que todos os vereadores da capital assinem a CPI. E que a policia realize de modo rápido e eficaz o seu trabalho.”



Ao que parece polícia não fez o seu trabalho como deveria, e não me restam dúvidas que assim foi por razões políticas. Felizmente o Ministério Público parece não ter compactuado com a operação abafa, e está cumprindo o seu papel

domingo, 4 de abril de 2010

Pedro Ruas a terceira via pela esquerda, Roberto Robaina e Rogério Benites

A pesquisa Data Folha sobre a eleiçao do RS foi publicada no Estado hoje. O candidato do PSOL, Pedro Ruas, aparece com 2% das intençoes de voto. Entre a faixa etária de 41 a 59 anos, Ruas surge com 4%. Nunca deixo de lembrar que Rigotto, na eleiçao que saiu vitorioso, começou com 3%; e Hugo Chavez, na sua primeira disputa, que saiu vencedor, em 1999, começou com 3%, depois de ter sido encarcerado pelo governo de Carlos Andrez Peres, da Socialdemocracia burguesa da Venezuela. Voltando aos pampas, o certo é que o nome de Ruas coloca a possibilidade real do PSOL se desenvolver como um pólo de construçao de uma alternativa de esquerda com peso em setores de massa. Isso já ficou visível com a disputa da prefeitura de Porto Alegre, quando Luciana Genro chegou próximo de 10% dos votos da capital. Nesta disputa o PSOL conquistou duas cadeiras na Câmara dos Vereadores. Agora lutamos no terreno estadual, náo apenas na capital dos gaúchos. O grande desafio é consolidarmos esta possibilidade de construçao de uma alternativa com capacidade de direçao de massas. Ruas é um grande nome para esta tarefa. Vamos todos arregaçar as mangas.

Para acrescentar o texto do nosso presindente estadual do PSOL, é de fundamental importancia, aprofundarmos um pouco mais na pesquisa, nos dados de maior relevancia, que para mim são dois:

A data da realização da pesquisa entre dia 30 e 31 de março, quando o MP não havia se manifestado sobre o caso Eliseu Santos, secretário de fogaça PMDB por envolvimento político com o caso SOLLUS, que desviou R$ 10 milhões da saúde na prefeitura de Porto Alegre.

Outro é que 74% dos entrevistados não sabem em quem votar nas próximas eleições. percebe-se que a sim um cetissismo, uma verdadeira descrença no políticos tradicionais e seus partidos, sendo que na maioria das vezes estão envolvidos na corrupção que desvia bilhões dos cofres públicos, que deveria suprir as demandas como saúde, educação, segurança, acaba indo para as quadrilhas e seus representantes no sistema. 

O PSOL é a única alternativa de poder para o povo gaúcho, reunindo ética, coerencia e um projeto democrático, fazendo com que o Rio Grande do Sul seja exemplo para todo o Brasil, na luta e organização do povo.

Ou seja, a eleição está aberta vamos a luta

Feliz Páscoa.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

MP denúncia suspeitos de assassinar Eliseu Santos..., Por Roberto Robaina

Na noite em que foi assassinado o então ex-secretário da saúde de Porto Alegre, escrevi neste blog: "Com o assassinato de Eliseu temos mais uma morte misteriosa na política gaúcha em pouco mais de um ano. Em fevereiro completou um ano do falecimento do assessor especial da governadora Yeda Crusius em Brasília, o senhor Marcelo Cavalcante. Até hoje não há uma conclusão sobre a causa da morte. A Polícia Civil de Brasília, até ontem governada por Arruda, define que foi suicídio. O Ministério Público Federal não se convenceu e pede maiores esclarecimentos. No caso do Eliseu, é óbvio, não está em questão que foi assassinato. Não creio que tenha sido um crime comum, um assalto seguido de morte. Tudo indica que foi uma execução. Por que? Quem? A mando de quem?"


Depois que a grande mídia alardeou que o assunto nao era político, mas sim crime comum e que as investigações da Polícia Civil encerraram as investigações com este veredicto, a investigação do Ministério Público Estadual começa a desmontar as verdadeiras razões do assassinato. Parece que o Ministério Público começa a responder as perguntas até agora abafadas. Vamos acompanhar as revelações das 16 páginas que mostram o que está por trás da morte por encomenda, motivada por vingança e queima de ativo. Nossas suspeitas continuam sendo as falcatruas nas quais o próprio ex-secretário se viu envolvido com sua pasta, como as com a empresa de segurança no qual se exigia propinas ou as falcatruas da Sollus na terceirização dos Posto de Saúde de Porto Alegre. Luciana Genro havia denunciado tudo isso há muito tempo. As investigações estão confirmando suas denúncias.