rogbenites@gmail.com

quarta-feira, 31 de março de 2010

Professores se mobilizam na Praça da Matriz, por Luciana Genro


Em assembleia geral nesta terça-feira, 30, os educadores do Rio Grande do Sul reafirmaram a rejeição ao projeto do governo que cria a remuneração mínima de R$ 1,5 mil. A categoria também rejeitou, por unanimidade, a intenção do governo de vincular o projeto de remuneração com o de reajuste salarial.




Mais de 3 mil trabalhadores em educação aglomeraram-se na Praça da Matriz, em Porto Alegre, desde as primeiras horas da manhã. A deputada Luciana Genro e a vereadora Fernanda Melchionna estiveram lá. A assembleia foi aberta às 10h30min e em seguida suspensa para que a direção da entidade pudesse negociar com os deputados estaduais alterações na proposta original do governo.



Com a informação de que os projetos da educação serão apreciados amanhã nesta quarta-feira, 31, a assembleia foi encerrada no final da tarde. A categoria permanece em vigília hoje para acompanhar as negociações. O conselho geral do Cpers/Sindicato está de plantão na Praça da Matriz.



Já os professores da Uergs – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul cobram nomeações com aulas na praça. Faltam pelo menos 21 professores para a instituição. Docentes ofereceram nesta semana uma aula no local, em frente ao Palácio Piratini. Estudantes de Novo Hamburgo tiveram uma lição de genética e os colegas de Porto Alegre ouviram uma palestra sobre a Praça da Matriz e o Centro Histórico.



A categoria entrou em greve. Os professores estão preocupados, porque a legislação não permite chamados após 6 de abril, considerado período eleitoral. “Somos cem docentes para atender a mais de 3,3 mil alunos espalhados em 24 municípios em todo o Estado. É uma situação muito difícil”, conta Maximiliano Segala, um dos representantes da Associação dos Docentes da Uergs.



Além da nomeação dos servidores, a categoria reivindica novo concurso público para ampliar o quadro de professores. Também cobra reajuste salarial de 9,92% e gratificação de 15% enquanto não for aprovado o plano de carreira.



Em novembro de 2009, Luciana esteve na unidade de Sant’Ana do Livramento da universidade e constatou a situação de abandono em que se encontra a instituição: “O que mais me impressionou é o fato de ter apenas um professor para um curso todo!” Ela também recebeu uma carta dos alunos, que descrevem o que se passa na unidade: “O pólo da Uergs Sant’Ana do Livramento está passando por um período muito difícil e de total descaso e abandono. Sofremos com uma grande falta de docentes. A Uergs não merece ser abandonada. Temos direito de estudar com dignidade.”



Luciana encaminhou ofício ao presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, solicitando uma audiência para os alunos. Ela incluiu ainda emenda no Orçamento da União de 2010 para compra de equipamentos para a Uergs de Livramento.

terça-feira, 30 de março de 2010

Uergs paralisa em todo Estado, jornal minuano de Bagé

Desde ontem, a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul está com atividades alteradas. Acontece que os docentes da instituição optaram por uma greve diferenciada.



MOBILIZAÇÃO: estudantes participam do ato



A proposta é chamar a atenção e pressionar o governo do Estado por meio de atos de manifestação. Entre as principais reivindicações da classe está o reajuste salarial de 9,92%, além da autorização para a reposição de 116 docentes que deixaram a Universidade e contratação de 21 profissionais com concursos homologados.

No primeiro dia, os acadêmicos foram recepcionados pelos professores que expuseram as principais razões para o ato de paralisação. “Estamos sem perspectiva de quando vamos conseguir terminar o curso”, desabafa a estudante de pedagogia Cristiane Duarte, 35 anos. “Vemos o esforço dos professores, mas não a contrapartida do Estado”, acrescentou. A coordenadora da Unidade Bagé Isabel Teixeira explica que a ideia é seguir com encontros nas salas de aula, porém o que entra em debate é o cenário estadual.

Hoje, às 9h, em Porto Alegre, a comissão estadual de greve será recebida pela Comissão de Educação da Assembleia Legislativa. Já às 10h, está marcado um ato público na Praça da Matriz daquela cidade. A assembleia geral da classe acontece dia 31 na sede do Sindicato dos Professores, quando a greve poderá tomar outros rumos. Em todo Estado, são 3,3 mil alunos e 96 professores ligados a instituição de ensino superior. Só em Bagé, a Uergs tem em torno de 150 alunos e três professores lotados na unidade.

segunda-feira, 29 de março de 2010

UERGS, Luciana Genro do PSOL destinou R$ 200 mil reais





Sant´Ana do Livramento 25 de março de 2010.


Senhor Diretor da UERGS e Acadêmicos da Universidade.



PSOL (Partido Socialismo e Liberdade), através de seu Presidente Sr. Rogério Benites comunica a vossa senhoria que a pedido da executiva municipal do PSOL de Livramento e articulada através do mandato da Deputada Federal Luciana Genro, ao qual esteve aqui em nossa cidade no ultimo mês de outubro, verificando in loco as principais demandas do povo santanense, em visita a esta instituição solidarizou-se com os alunos da UERGS pela dramática situação em que se encontra o campus de nossa cidade. De imediato pleiteou uma audiência pública na Comissão de Educação e Cultura da Assembléia do Estado do Rio Grande do Sul. Outra ação do PSOL foi de encaminhar recursos financeiros para ajudar a instituição a se restabelecer e voltar a cumprir seu papel de formar profissionais de qualidade, através do nobre deputado Geraldinho de Viamão ao qual ocupou a vaga da a nossa Deputada Federal Luciana Genro licenciada até o final do ano passado, ingressou com uma emenda individual no orçamento da União para o ano de 2010 no Congresso Nacional na Comissão Mista de Planos, Orçamentos e Fiscalização Sistema de Elaboração de Emendas ás Leis Orçamentárias PLN 0046 LOA.

No valor de R$ 200, 000.00 (mil) em beneficio da instituição emenda número 2628002. A emenda tem por finalidade financiar a compra de equipamentos de informática para a UERGS campus de Livramento. Desta forma o PSOL cumpre seu papel com a sociedade santanense, lutando contra a corrupção e articulando recursos para educação, área de fundamental importância para o desenvolvimento de nossa região.






Atenciosamente.




Rogério Benites.

Presidente

PSOL

domingo, 28 de março de 2010

Conferência Eleitoral do PSOL 2010

O PSOL não será o mesmo após a nossa plenária eleitoral, que acontece hoje na igreja da Pompéia em Porto Alegre. Este momento é tão importante e fundamental para o partido, pois define quem será o nosso candidato a presidente do Brasil na eleição de 2010.
Para quem não está acompanhando de perto, poderá pensar que é tarde para construir um nome que leve as principais bandeiras socialistas, que respondam as necessidades do povo brasileiro.

De um lado temos a candidatura que quer levar o PSOL ao queto político, esta candidatura representada pela candidatura de Plínio de Arruda Sampaio, da tendência interna da APS e apoiada pelo ENLACE, Plínio em suas manifestações diz que o PSOL, caso fosse ele o candidato entraria na disputa para perder, já derrotados teríamos que divulgar e panfletear a revolução socialista, esquecendo nossa história, nossa construção, feitas em cima de bases concretas, na luta contra a corrupção, a não traição a classe trabalhadora, que levou a expulsão de Heloisa Helena, Luciana Genro e Babá.

Já a candidatura de Babá da CST, é uma candidatura que seu maior objetivo é flutuar em torno de Plínio, para eles a revolução socialista está na esquina e de uma hora para outra o tigre do capitalismo cairá aos nossos pés, portanto deveríamos, propagandear o socialismo, sem apresentar projetos alguns no pleito que se aproxima. 

A nossa candidatura, a candidatura de MARTINIANO CAVALCANTI, ao qual eu, Heloisa Helena, Luciana Genro, Roberto Robaina, Pedro Ruas o nosso Pré-Candidato a governador apoiamos.

MARTINIANO, não esquecerá a nossa história, desde a expulsão dos nossos parlamentares, por não traírem a classe trabalhadora e não aceitar fazer parte da corrupção do governo LULA,  da construção e legalização do PSOL, dos nossos principais acertos políticos, de nossas lutas contra a corrupção do fora YEDA no Rio Grande do Sul, fora SARNEY, RENAN, fora ARRUDA no distrito federal, onde fomos protagonistas dessas lutas.

MARTINIANO também dirá do acerto da aproximação com Marina do PV, onde desmascaramos sua candidatura perante o povo

MARTINIANO é o único candidato do PSOL que poderá com autoridade e competência furar o bloqueio da mídia nacional e a falsa polarização PT/PSDB.

MARTINIANO É O NOSSO E DE MILHARES DE LUTADORES SOCIAIS  O CANDIDATO DO PSOL Á PRESIDENTE DO BRASIL 2010.

terça-feira, 23 de março de 2010

Luciana quer que Shell perca para que estados ganhem




22/03/2010



Luciana pediu que senadores revissem proposta do PSOL (Fotos: Letícia Heinzelmann)

A deputada federal Luciana Genro esteve nesta segunda-feira, 22, no Centro Administrativo do Estado do Rio Grande do Sul, participando de reunião da bancada gaúcha no Congresso Nacional com a governadora Yeda Crusius e secretários, para tratar da questão da partilha dos royalties do petróleo extraído do pré-sal. O objetivo principal era debater propostas que ajudem na aprovação da emenda do deputado Ibsen Pinheiro, que determina que a distribuição desses valores ocorra de forma igualitária entre estados e municípios da Federação.



Ibsen apontou que há uma falha na lei que determina que os estados em frente às plataformas de petróleo recebam uma parcela maior: “Essas plataformas não estão nos respectivos territórios de Rio de Janeiro e Espírito Santo, mas sim no mar, que é da União e onde não há danos aparentes para esses estados. Eles têm ganhos com a extração ocorrendo na sua proximidade, com o aquecimento econômico. O alegado dano ambiental, se ocorrer, será no mar, onde um vazamento de óleo para ser levado para quaisquer estados litorâneos através das correntes marítimas.”





Deputada apontou que Shell garantiu sua parte enquanto estados brigam por royalties

Luciana levou uma proposta apresentada pela bancada do PSOL na Câmara em 2009 que poderia ajudar a resolver o impasse entre os estados. Isso por que, para amenizar o mal estar com o Rio de Janeiro, Ibsen propôs que a União compensasse o estado pela diferença de arrecadação provocada por sua emenda, de forma que a equidade fosse ocorrendo de forma gradual. O projeto levado pela deputada diz respeito à parte que cabe à União da extração do petróleo. O PSOL propôs que fosse fixado 80% como pertencente ao país, como é a média mundial entre as nações produtoras. Assim, desse montande sairia a compensação.



“A briga está restrita a cerca de apenas 15% dos recursos, que é a fatia dos royalties. Outros 15%, mais ou menos, é o custo da extração. Sobram 70% dos recursos que serão gerados pelo pré-sal e que ninguém está debatendo para onde vão. A fatia que vai para a União e a que vai para a empresa vencedora de cada leilão serão definidas em cada venda, onde, sabe-se, as grandes multinacionais do petróleo constituem um grande cartel. A União pode acabar com apenas 1% desse total, pois não há mínimo previsto na lei”, denunciou. “O Senado pode rever nossa proposta, estabelecendo esse mínimo de 80% para a União, e tirar daí os recursos para ressarcir os estados produtores que perdem com a partilha universal dos royalties. Na verdade, estamos discutindo sobre 72% do pré-sal, pois 28% já estão nas mãos da Shell, que venceu os leilões.”



Leia mais no Blog da Luciana

domingo, 21 de março de 2010

Rogério Benites " O RETORNO"...


Após 21 dias sem escrever no meu blog estou retornando as atividades novamente.

Para quem acompanha, um resumo cronológico.

1 de março Porto Alegre, para fazer um procedimento ambulatorial pelo SUS e retornar no mesmo dia, pelos vários erros médicos, acabei ficando 12 dias internado no hospital Conceição para retirar um cálculo do ureter. Graças a Deus que consegui retirar o cálculo e sair com vida do hospital.

15 de março Livramento, reabertura da Santa Casa, inicio para mim da aulas na universidade e organização da plenária eleitoral do PSOL.

19 de março realização da plenária eleitoral do PSOL, onde conseguimos alcançar nossos objetivos, elegendo 4 delegados para a plenária estadual.

20 de março, hoje retorno ao blog, onde esmiuçarei os temas acima.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Caso Eliseu por Luciana Genro

A morte de Eliseu Santos é uma tragédia particular para seus amigos e familiares e um choque para todos. A grande interrogação é se foi um crime comum ou uma execuação. As notícias que temos sobre o trabalho da polícia vêm dos jornais, e elas são contraditórias. A Zero Hora está sustentando abertamente a versão de que foi um assalto, dizendo que a polícia está praticamente convencida disto, embora diga também que a esposa de Eliseu tenha tetemunhado que não houve anúncio do assalto. As informações que eles dão na matéria não sustentam a convicação com que estão defendendo a tese do assalto. Já o Correio do Povo diz exatamente o contrário da Zero Hora, afirmando que a tese de execução é a mais forte, embora a polícia não descarte o assalto. O Jornal do Comércio coloca as duas hipóteses no mesmo patamar, reproduzindo uma declaração do delegado Ranolfo Vieira Junior: “Não podemos dizer ainda se é latrocinío ou homicídio. A investigação tem que ser isenta, não posso me apaixonar por uma ou outra hipótese para não prejudicar meu trabalho”. Espera-se realmente que assim trabalhe a polícia.




Para mim o caso tem todos os elementos de uma execução política, visto que Eliseu Santos estava envolvido no caso Sollus. A Polícia Federal estava investigando o desvio de quase R$ 10 milhões do Fundo Municipal da Saúde, promovido por este instituto que gerenciou o pessoal do Programa de Saúde da Família. Foi Eliseu quem os trouxe para Porto Alegre, e num processo conturbado bancou a sua contratação sem licitação, o que só foi obtido mediante um acordo com o Ministério Público. Na quinta feira ele depôs na Polícia Federal sobre o caso e no dia seguinte foi assassinado.