rogbenites@gmail.com

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Cacalo ex-presidente do Grêmio recebe homenagem na Câmara de Vereadores de Porto Alegre




O Santanense Rogério Benites participa da homenagem a Cacalo ex-presidente do Grêmio Foo-ball Porto-Alegrense.

 Na noite desta terça-feira (18/9), o advogado, jornalista, radialista e ex-presidente do Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense Luiz Carlos Pereira Silveira Martins, mais conhecido como Cacalo, tornou-se o novo cidadão emérito de Porto Alegre. O título foi concedido pela Câmara Municipal, durante sessão solene realizada no Plenário Otávio Rocha, através de proposta apresentada pelo vereador Pedro Ruas (PSOL). 
 

Cacalo é hoje titular de uma coluna no jornal Diário Gaúcho e participa de debates esportivos no Programa Sala de Redação, da Rádio Gaúcha. Foi um dos dirigentes mais importantes da história do Grêmio. A solenidade foi presidida pelo vereador Mauro Zacher (PDT) e contou com a presença do prefeito José Fortunati, do presidente do Grêmio, Paulo Odone, e do ex-presidente do clube Fábio Koff. 


Segundo Pedro Ruas, Cacalo é uma pessoa admirável capaz de se destacar em qualquer atividade que estiver envolvido. "Sou muito criterioso na escolha dos meus títulos, e a figura extraordinária de Cacalo é unânime para a sociedade gaúcha", afirmou. Para Ruas, Cacalo nunca foi apenas um gremista qualquer, "ele conseguiu ser a soma e a síntese da nossa paixão pelo clube". De acordo com o proponente, por todas as instâncias do clube pelas quais passou, Cacalo foi um dirigente com o qual os gremistas se identificavam. 

"Foi um esportista que honrou a cidade onde nasceu, nos deu esperanças, superou as expectativas de milhares de torcedores. Na vida profissional, é símbolo da ética, da lealdade, do companheirismo até em momentos difíceis e delicados", elogiou Ruas ao reiterar o profundo respeito e gratidão pela amizade que tem com Cacalo. Ao dedicar suas palavras à mãe do homenageado, presente na plateia, Ruas frisou: "Porto Alegre homenageia uma pessoa que todos os dias homenageia essa cidade no seu trabalho e na sua conduta."

Utopia                      

Ao agradecer a homenagem, Cacalo disse que tem na amizade com Pedro Ruas um espelho das boas condutas e conceitos de uma vida correta. "Tenho na sua amizade, um dom que carrego comigo, agradeço a sua generosidade em propor essa honraria que jamais esquecerei", afirmou. Segundo Cacalo, o importante na vida é manter acesa sempre a utopia, os sonhos e os objetivos com o coração. "Não sou merecedor desse prêmio, não sou falso modesto, mas se fiz o que fiz durante minha vida, fiz com alma e com coração. Acreditando sempre", reiterou.

Para Cacalo, enquanto dirigente do Grêmio, sempre fez questão de se dedicar de corpo e alma às conquistas. "O Grêmio faz parte da minha vida, foram muitas vitórias e outras tantas derrotas e tristezas, mas sempre mantive minha lealdade e fidelidade a este clube. Mesmo nos momentos mais delicados, eu sempre cultivei a fé e a garra nesse time que tanto nos orgulha", afirmou ao agradecer a presença de amigos e familiares presentes na solenidade.



Trajetória

Cacalo nasceu em Porto Alegre no dia 27 de agosto de 1950. Estudou no Colégio Anchieta e fez faculdade na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Foi aprovado em concurso público para assessor jurídico do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul. 
No Grêmio, tornou-se ídolo da torcida tricolor por suas conquistas extraordinárias, acumuladas em seu destacado currículo de dirigente esportista. Foi presidente do clube, integrante do Conselho Consultivo do Grêmio, membro nato do conselho deliberativo, vice-presidente jurídico, vice-presidente de administração, vice-presidente de Futebol. 

Além do Grêmio, foi também conselheiro da Associação Leopoldina Juvenil, da Associação Gaúcha dos Advogados Trabalhistas, vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados, ex-advogado-chefe da Procuradoria Jurídica do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul e ex-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Gaúcha de Futebol de Salão.

Conquistas e títulos:

– campeão gaúcho, 1993; 
– bicampeão invicto da Copa do Brasil, 1994; 
– campeão da Copa Renner, 1995; 
– campeão gaúcho, 1995; 
– bicampeão da Taça Libertadores da América, 1995;
– campeão do Torneio Cidade de Porto Alegre, 1996; 
– campeão da Copa Sanwa Bank, no Japão, 1996; 
– campeão da Recopa, 1996; 
– campeão gaúcho, 1996; 
– campeão brasileiro, 1996; 
– tricampeão invicto da Copa do Brasil, 1997; 
– campeão do Troféu Colombino, na Espanha, 1997;
- vice-campeão mundial no Japão, 1995.


quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Eleições todos os anos?



Estou chegando a quase a converser-me de que deveriam existir eleições no Brasil de ano a ano, pois como temos visto certas “melhorias”, na vida das cidades e consequentemente das pessoas, demonstrando alguns resultados, seja em forma de projetos que saem do papel neste período, período eleitoral não é mesmo?

Alguns Prefeitos tratam de melhorar a infra-estrutura das cidades, pintando calçadas, tapando buracos e iluminando as ruas, mesmo que lentamente, e tem alguns que mesmo assim não conseguem.

Seus ditos “opositores”, digo isso porque estão todos juntos, os partidos, seja no governo Federal ou Estadual, tratam de articular e concretizar algo para somar mais votos que os levem ao poder.

De qualquer forma podemos perceber que são ações puramente eleitoreiras, mas que para o povo e para grande maioria da classe trabalhadora é um ganho substancioso.

O que dizer da última eleição municipal em Livramento, onde o atual prefeito Wainer naquela época buscando a reeleição calçou várias avenidas de nossa cidade em pleno período eleitoral, fato este decisivo para sua vitória, e sobre a Santa Casa de Misericórdia, quem passava por lá nunca iria imaginar que lá havia corrupção, que nós do PSOL denunciamos que desviaram R$ 500 mil reais públicos de seus cofres e quem acreditaria se alguém dissesse que o hospital fecharia suas portas?

Relembro este fato para entrar em outro, mais atual, que pode ser visto por os prismas citados acima, (melhoria da vida do povo, eleitoreiro, período eleitoral), digo, sobre a nova escola técnica que será instalada no antigo Swifit Armour, onde o Estado investirá R$ 12 milhões de reais, e, sobre o projeto Palomas, ao qual o secretario da Educação entregou 700  Netbooks aos alunos do ensino médio da escola General Neto e que visam entregar a todos os alunos do ensino médio até o final do ano letivo.

Certamente o candidato a Prefeito do PT tem seus méritos ao articular com seus pares partidários este beneficio social, colherá frutos eleitorais certamente, mas creio que será difícil alcançar a vitória de qualquer forma.

Percebam, mesmo que seja uma pequena parcela da população as pessoas estão debatendo sobre o tema, seja entre membros de partidos políticos, através de suas candidaturas, ou simples cidadãos. Há no seio social uma discussão, mesmo que não seja ideológico e programático, mas há, isso é fato notório, o que resultará em um aumento da pressão sobre aqueles eleitores que estão desiludidos com os velhos partidos políticos e seus membros, seja pela corrupção ou pela traição de seus ideais.

Entretanto e razão de minha análise são as indagações que devem ser instigadas, e que aqui as deixo aos meus leitores:
a)      Todos os alunos do ensino médio das escolas estaduais receberão os netebooks?
b)      E as melhorias na infra-estrutura das escolas quando sairão do papel?
c)      E a valorização dos professores com o pagamento do piso nacional?
d)      Se há esta vontade política de eleger o candidato do PT prefeito de Livramento por parte do governador do Estado, porque o candidato não assume a luta pela construção do hospital publico de fronteira, já aprovado ao orçamento do Estado 2013?

Porque se houvesse eleições de ano em ano, desde que fosse toda financiada com recursos públicos e de forma democrática, com o mesmo tempo de radio e TV e sem coligações, certamente a vida das pessoas melhorariam verdadeiramente, pois poderíamos discutir sobre política, aumentar a consciência de nosso povo sobre a relevância de sua participação no processo político do nosso País, Estado e Município.