rogbenites@gmail.com

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

voto sem tesao

Como diz Luciana este segundo turno nao nos motiva em nada debater politicamnete e demonstrar nossas posiçoes.

 Na realidade Serra e Dilma demostraram que tanto a direita neoliberal do PSDB como a nova direita PT/PMDB sao faces da mesma moeda, demostraram nua e cruamente suas ficeras, defendento a corupçao, encobertando seus comparsas e afiliados politicos.

O povo viu-se sem alternativa, todos estao juntos e defendem as mesmas propostas, ou seja, quem vai comandar o cofre e seguir comandando para a burguesia nacional e internacional, enquanto as migalhas sobram para o nosso povo.

Preparemos o povo e os trabalhadores para os embates que virao.

Nao vou abrir meu voto, nao farà diferença alguma mesmo,

Repasso texto de meus companheiros sobre o segundo turno


A Executiva Nacional do PSOL votou uma resolução que consideramos equivocada. Nela, se legitima o voto em Dilma, mas também o voto Nulo, como se fossem duas alternativas compatíveis, quando são opostas.



O PSOL nasceu de um claro confronto à traição de classe do governo Lula e do PT, denunciando que sua política dava continuidade aos oito anos de governo neoliberal tucano. Assim nos posicionamos, assim muitos foram expulsos do PT, assim foi fundado o PSOL.

Denunciamos durante estes oito anos a falsa alternativa dos tucanos, e enfrentamos nas ruas e nas urnas as políticas econômicas contra os trabalhadores e o povo aplicadas desde o governo federal do PT/PMDB com a cumplicidade dos governos estaduais controlados pelo PSDB/DEM.

Não estamos frente a um confronto de esquerda versus direita nem de democracia versus fascismo*.
 Trata-se de uma disputa dentro dos marcos do regime da falsa democracia do poder econômico e da corrupção, regime que as duas candidaturas defendem.

Argumenta-se que tucanos e petistas “não são iguais”. Mas nós afirmamos que não são opostos, pois o conflito fundamental entre eles é a disputa pela chave do cofre para melhor servir ao grande capital e se beneficiar dos cargos, altos salários, desvios, propinas e os privilégios do poder. Ou, como diz o sociólogo, professor e fundador do PSOL Chico de Oliveira, “o campo de conflito entre eles é pequeno”.

Temos denunciado durante oito anos o surgimento de uma nova direita, encabeçada pelo PT, com aliados como Jáder Barbalho, José Sarney, Renan Calheiros, Collor de Melo. Novos aliados que majoritariamente o foram também de FHC, velhas raposas sempre dispostas a negociar seu lugar junto aos governos de turno.

Nova direita que, junto com a tradicional e velha direita dos tucanos e do DEM, pactuou a subserviência ao capital financeiro, ao agronegócio, aos grandes grupos econômicos estrangeiros e nacionais. Juntos se acobertaram mutuamente nos escândalos de corrupção montados sob os mesmos esquemas. Juntos continuaram criminalizando os movimentos sociais, o que se comprova com o número de trabalhadores rurais mortos nestes oito anos de governo Lula, nos interditos proibitórios contra as greves, na repressão aos sem teto, nos despejos, na violência policial contra as greves e na brutal criminalização da pobreza que faz dos jovens pobres e negros a maioria das vítimas da violência policial.


Tão importante como denunciar que os tucanos introduziram a pauta conservadora contra o aborto e de criminalização da homossexualidade, é denunciar qual tem sido a resposta da candidata de Lula: no mesmo terreno retrogrado e conservador, Dilma afirma que “respeitará o estado laico”, mas subordina suas propostas aos setores mais reacionários das igrejas. Entre Crivella e Silas Malafaia não há “mal menor”!


O governo Lula afirma que o país não esta mais dependendo do FMI. Mas a verdade é que Lula assumiu integralmente a pauta do FMI e do capital financeiro, pagando os juros mais altos do mundo e dando continuidade à política de FHC. Este, durante seus oito anos pagou 600 bilhões de reais em juros e amortização da dívida publica e, no entanto, a divida pulou de 61,8 bilhões de reais para R$ 687 bilhões. Finalizando o governo Lula, durante o qual pagou 1 trilhão 340 bilhões de juros e amortização, a divida publica pulou para fantásticos 1 trilhão 826 bilhões de reais. Enquanto durante todo o ano de 2009 o governo gastou R$ 12 bilhões com o programa Bolsa Família, dedicou R$ 380 bilhões para pagar juros ao sistema financeiro! Lula então, diz que governou para os pobres, mas, ao igual que FHC, governou para os ricos e poderosos.


Disputar os petistas não é confundir e iludir com que Dilma é diferente de Serra, não é embelezar Dilma para justificar o voto no PT. Disputar os corações e as mentes dos milhões que, equivocadamente votarão em Dilma, significa ajudar a desmascarar a farsa atual entre dois projetos substancialmente iguais. Para derrotar Serra não se pode votar na Dilma, cujo projeto é o mesmo! Pois os dois defendem ataques ao nível de vida do povo, uma nova reforma da Previdência, os dois encobertam a corrupção, os dois pactuam a desnacionalização da economia, os dois defendem o agronegócio e com os dois continuará a devastação da nossa Amazônia.


Se alguma diferença devemos marcar, é que pelo seu histórico de luta e sua origem popular, o petismo e Lula no governo provocaram um enorme retrocesso na consciência de milhões trabalhadores. Utilizaram seu capital político construído durante décadas junto à classe trabalhadora para, de forma pérfida, manipular consciências e desmobilizar o povo, contando com a cooptação de milhares de ex-dirigentes que hoje ganham fabulosos salários administrando fundos de pensão, ocupando cargos em conselhos de empresas estatais ou mistas, secretarias e cargos de confiança em governos. E também diretamente comprando lideranças sindicais e estudantis com os milhões que despejam sobre organizações as organizações sindicais como a CUT ou a UNE.



O VOTO NULO prepara o futuro. Pois o PSOL não pode ser cúmplice de um governo que prepara o ajuste fiscal, receita do imperialismo para que os povos paguem pela crise da economia mundial. Isso significa a redução dos gastos públicos, a reforma da previdência que aumentará o tempo de trabalho necessário para se aposentar, a reforma trabalhista para acabar com a multa de 40% do FGTS, com o 13º salário, que pretende parcelar férias. Não podemos compactuar com uma candidatura que governará com um orçamento voltado para pagar juros da dívida ao capital financeiro enquanto dedicará migalhas para o programa Bolsa Família com o objetivo de manter seus currais eleitorais e o povo pobre desmobilizado.


O PSOL não pode legitimar pela esquerda o governo da nova direita, nem se converter em roda auxiliar do projeto do PT/PMDB. O PSOL não será domesticado nem cooptado. O PSOL é oposição de esquerda as duas candidaturas do capital e será oposição ao futuro governo, programática e praticamente, ajudando a organizar as lutas para enfrentar o ajuste que virá. Por isso, em 31 de outubro, nós, que continuamos defendendo um PSOL socialista, de esquerda, de classe, de luta, com independência política do capital, votaremos NULO.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O silencio .....

O que voce diria,
Por esses dias,
Onde vemos nua e crua,
As viceras podres dos poderosos,
lutando pelo poder,
A de ser,
Quem vencer,
Pois o derrotado,
Serà eliminado,
DA face da terra,
Para aprender,
Vivemos em guerra, 
4 guerra mundial,
O egoismo,
nao faz mal,
somos assim mesmo,
humanos,
falhos,
pecadores,
qual o problema,
quem tem a grana,
tem o poder,
de dizer,
e ser glorificado,
com as beneces,
do poder.....
o que dizer,
tenho certeza,
a europa,
està dando exemplos,
juventude lutadora,
nao aceita a masmorra,
dos governos,
do poder,
o mundo se trasforma,
agora,
neste instante,
nao è mais como ,
era antes,
os que estao,
hoje no poder,
caem,
a bel prazer,
Nesse jogo nao serà um a um,
terà vencedor,
e a dor,
ficarà para os derrotados,
nao o povo,
mas os que mamam,
na mae pàtria,
terminarà a àgua da lata,
secarà,
a justiça nao enxergarà,
como sempre,
somente para,
quem detèm o capital,
poderà nao passar mal,
è assim,
sempre foi assim,
eu digo tudo,
tudo està mudando,
o silencio,
que o diga,
pense,
faça silencio,
por alguns instantes,
fale com voce mesmo,
pense com,
o outro lado do cerèbro,
somos egoistas,
o que fazer,
viver,
viver,
tchau

domingo, 10 de outubro de 2010

A vida como ela è

Apòs a eleiçao e nossa derrota politica ao qual eu assumo a responsabilidade junto com a direçao estadual, onde o nosso objetivo nao foi concretizado, nao reelegemos a nossa deputada federal Luciana Genro e nem o nosso mais forte quadro Roberto Robaina, o que mais me intristeceu certamente foi a perda do mandato de Luciana, pois Livramento, Rio Grande e o Brasil perdem a atuaçao de uma das parlamentares mais atuantes do Congresso Nacional, alèm disso pela lei Luciana nao poderà concorrer nas pròximas eleiçoes porque è filha do Tarso Genro governador eleito do Rio Grande do Sul, Luciana jà manifestou publicamente que lutarà na justiça para concorrer a vereança em 2012 em Porto Alegre.

 A vida continua,

Na terça acompanhei in loco a història do Joel, senhor que havia morrido e estava no necrotèrio do hospital, fora identificado pela familia, sendo inclusive sepultado. O que todos nao imaginavam è que o Joel estava vivo, aparecendo logo apòs ao enterro aos seus familiares, a noticia tomou amplitude estadual. Este fato nao è novo para nòs jà acontecera algumas vezes, contarei mais tarde em meu livro.

Outor fato de relevancia foi-me informado pelo meu amigo e primo da vitimà Eduardo, disse-me que no dia 2 de outubro seu primo veio a falecer na cidade de Vacaria, apòs ter febre alta, procuro assistencia mèdica, pensando que iriam internar seu irmao, o mèdico disse: Teu irmao acaba de valecer, a vitima estava trabalhando à 6 meses em Vacaria na colheita das maças, pretendia juntar dinheiro para ajudar sua mae, tinha 22 anos e seu irmao apenas 20 anos.
O mèdico colocou no atestado de òbito insuficiencia cardiaca e respiratòria e suspeita da H1N1.
Imaginem a dor da familia de perder uma vida, a vida de um jovem com o futuro todo pela frente, sonhos seifados, vida acabada, tudo para por lutar pela dignidade que o trabalho propicia.
Eu suspeito desta morte, sei dos pestissidas, dos venenos que nosso povo està sendo submentidos nessas empreitadas das colheitas das maças.
Podem me responder o porque os habitantes de Vacaria e da regiao norte nao trabalham nas maças?
Mas o mais indignante estava por vir, Eduardo e a familia procuraram todos os representantes dos governos, executivo e legislativo para ajudà-los no translado, imaginem que "ninguèm", prestou-se a resolver o problema, a familia de trabalhadore pobres teve que fazer uma vaquinha para pagar a entrada do serviço que foi de Porto Alegre atè Vacaria e somente depois de 4 dias, pasmem senhores depois de 4 dias foi sepultado em nossa cidade, recebendo a homenagem e o ùltimo adeus de sua familia.

Quantos terao que morrer para nosso povo ter dignidade e receber a terra aqui em Livramento?
Plantamos a idèia de fazer reforma agrària para os do nosso povo, peoes de estancia, homens e mulheres decendentes do homem da fronteira, desempregados, gerando renda, produzindo alimentos e riquezas em nossa regiao.

Outra noticia è de meu amigo que trabalha com o Bolo e o Japao no aviàrio na antiga cooperativa situado na Rivadàvia Correa, o depoimento saiu hoje na Platèia, infelizmente ele perdeu sua esposa e minha amiga por falta de um UTI e de um hospital pùblico em nossa cidade, para atender o nosso povo com digindade, pela falta de comprometimento dos gestores pùblicos.
Somente hà uma maneira para resolver-mos esta situaçao e com envolvimento e concientizaçao de que necessitamos lutar para conquistar o que nos è de direito acesso a saùde, ao qual nòs nao temos, mas para muitos ela vai muito bem obrigado.
Um hospital totalmente pelo SUS foi plantado por mim nas eleiçoes 924 apostaram nesta proposta, continuo a luta soma-se a nòs do PSOL, vamos vencer certamente, tenham uma òtima semana, atè,

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A derrota de Livramento

Livramento sofreu uma grande derrota nesta eleição, pois não conseguimos reeleger a nossa deputada federal Luciana Genro do PSOL (129 mil votos), a nossa maior guerreira em defesa de nossos interesses, pois Luciana sempre esteve ao nosso lado sendo a porta voz do povo e dos trabalhadores santanense.


Os números demonstraram também uma dura realidade para nós do PSOL, mesmo com uma política forte, firme e coerente, obtive apenas 884 honrados votos, sendo estes 737 votos em nossa cidade, ao qual sou eternamente grato.

Estas pessoas entenderam conscientemente da importância de participar e não tão somente votar por votar, estes cidadãos não foram atrás do dinheiro das falsas promessas, do voto útil, assim como os amigos de Viamão, Porto Alegre, Montenegro, Alvorada, Pelotas, Santa Maria, Santiago, Barra do Ribeiro, Quarai, Bagé, Dom Pedrito, Alegrete, Torres, Capao da Canoa, Caxias, que me honraram com seu voto.

Eles disseram em alto e bom tom:

“não aceitamos a situação em que está vivendo o nosso povo, falta de emprego, as pessoas continuam indo embora da cidade, não aceitamos a corrupção, as mentiras, os desvios de recursos do hospital, o caos social”.

Queremos uma pampa rica e não o que está ai posto para nós e nossos filhos.

A região da campanha em especial Livramento quer um hospital totalmente SUS para atender o povo e os trabalhadores com respeito e dignidade, queremos a Uergs forte formando médicos e enfermeiros, gerando renda e oportunidades, os governos devem a valorizar das mulheres e dos trabalhadores e não tão somente os empresários e a questão econômica.



Agradeço muitíssimos os 204 votos da nossa companheira Jaqueline Martins, aos 150 votos do nosso companheiro Roberto Robaina e os 489 votos da Luciana Genro e o votos em nosso candidato a governador Pedro Ruas.

Amigos, Deus quis assim

Muito obrigado do fundo do coração, muito obrigado, que Deus continue sempre conosco, sei que fiz a batalha justa, lutei com todas as forças, utilizei todos os recursos disponíveis, sabia da conjuntura difícil e complicada, onde era mais fácil estar ao lado dos quem iriam supostamente ganhar, ao lado dos detentores do poder e do dinheiro, entretanto não nos rendemos dissemos os que muitos não queriam ouvir, defendemos os mais fracos, pobres, trabalhadores e oprimidos, perdi, mas estou de cabeça erguida com a consciência tranqüila, continuarei, pois perdi a batalha e não a guerra.

sábado, 2 de outubro de 2010

Agora è 50 vote PSOL vote 50


Peço teu voto com a certeza de que fizemos a melhor luta com coerencia e responsabilidade, falamos o que muitos nao queriam ouvir.

Cobramos a situaçao caòtica em que està vivendo o nosso povo.

Apresentamos propostas concretas para solucionar, amenizar os principais problemas, como a questao da Santa Casa, UERGS, desemprego, fomos os ùnicos a cobrar o encerramento do inquèrito da PF, sobre os desvios do hospital.

Jà somos vitoriosos por defender o povo mais humilde e a classe trabalhadora, Deus nos honrou com esta missao.

Chegamos atè aqui firmes e confiantes que o povo santanense darà uma resposta nas urnas para o descaso dos governos e seus partidos corruptos votando no PSOL

Peço teu voto no Pedro Ruas nosso governador 50
Rogèrio Benites 5080 deputado federal
e na Jaqueline Martins 50180 deputada estadual

atè a vitòria de amanha, fiquem com Deus

Rogèrio

Deus, meu Deus muito obrigado por tudo



O candidato a deputado federal do PSOL Rogério Benites tem intensificado o trabalho tendo como objetivo conquistar para o povo da região em especial aos santanenses a Estadualização do Hospital Santa Casa de Misericórdia, tornando-a totalmente SUS, como è o hospital Conceição, Santa Casa, Clinicas de Porto Alegre, garantindo o atendimento a todos os cidadãos, gratuitamente e com qualidade.

Em contado com os eleitores Benites tem reafirmado o compromisso político do PSOL, seja na luta contra a corrupção, ou em defesa dos pobres e dos trabalhadores. Na reta final da campanha eleitoral as idéias e propostas de Rogério Benites estão ganhando apoio de diversas lideranças e de pessoas comuns, normais, mães, chefes de família, aposentadas, trabalhadores, desempregados, jovens e crianças, que se tornaram multiplicadores de suas propostas.

Pois estas pessoas vêem na candidatura de Rogério Benites do PSOL a deputado federal como alternativa política ao povo santanense e da região, tendo demonstrado um trabalho relevante em defesa da saúde em especial lutando pela Santa Casa de Misericórdia, pelas universidades, sempre em defesa das principais necessidades de nosso povo sem possuir mandato público algum, ainda.

Rogério agradece a todos e todas pela participação, e os gestos de carinho recebido e a demonstração de consciência e responsabilidade para com nossos irmãos, pois nunca esqueceremos o passado, porém o futuro já começou e no próximo domingo certamente o povo santanense saberá fazer justiça através do voto, dando uma resposta ao Rio Grande ao caos social em que vivemos, convergindo nas candidaturas do PSOL