rogbenites@gmail.com

sábado, 1 de maio de 2010

Dia do TRABALHADOR....


Neste dia de luta e protestos em várias partes do mundo é importante a reflexão, estudar, buscar informações, que nos ajude a pensar, tentar perceber de onde sai à riqueza, qual é a relação das forças produtivas, das classes sociais.


Do trabalho dos homens é que sai a mais valia a riqueza de poucos exploradores que detém o capital e exploram aos milhões de seres humanos.

O nascimento da humanidade a mais ou menos 1 milhão de anos, “Comunismo Primitivo” foi o período histórico mais duradouro pelo qual passou a humanidade. Ou seja, ao contrário do que repetem aos analistas, que seria uma utopia sem chance de realização, o período histórico mais longo da humanidade, até hoje, foi esta a sociedade igualitária sem opressão nem classes sociais. Passando pelo modo de produção asiático, a pelo menos 8 mil anos atrás, sendo que nesse período foi marcado pelo surgimento da exploração do homem pelo homem, surgindo uma estrutura, um sistema de castas, no qual não existia propriedade e direito a herança, mas havia uma camada privilegiada, que dirigia e organizava a distribuição da águas. O Escravismo que sucedeu passou a ser conveniente conseguir força de trabalho, o que se logrou através da guerra, os prisioneiros foram feitos escravos. Dadas as condições gerais de então, a mudança na divisão do trabalho, ao aumentar a produtividade e a riqueza, tinha que trazer consigo escravidão, assim nasceu a primeira grande divisão da sociedade em duas classes: Senhores e escravos, explorados e exploradores.

No Feudalismo, nem mesmo o senhor ou o servo possuía terra, mas era ele próprio, arrendatário de outro senhor, mais acima na escala, o Rei. O estabelecimento de rotas para o Oriente trará um novo dinamismo a esse processo, que dará as atividades comerciais um destaque cujas conseqüências vão contribuir para a erosão das bases da ordem feudal. Os mercados se ampliaram cada vez mais a procura de mercadorias, o vapor e maquinaria revolucionaram, o processo de agrupamento de vários trabalhadores num mesmo local de trabalho especializou o tipo de atividade de cada um deles, ampliando em muito a produtividade do trabalho, mudando globalmente as feições herdadas do mundo feudal, surgindo então a burguesia, tinha por base a propriedade privada, o meu, e o agora a propriedade do dinheiro, os banqueiros.

O Capitalismo sistema que perdura até hoje, em sua fase globalizada, é um sistema social que concentra nas mãos de pouquíssimos o melhor de suas riquezas e condena uma parcela da população a miséria, á fome, gerando contingentes enormes de seres humanos que sobrevivem em condições precárias, isso, para não apontar grande caráter mundial como guerras, que se multiplicaram e ganham caráter mundial com a ascensão do capitalismo, e os desastres ambientais, cada vez mais presentes em nossas vidas.O Capitalismo caracteriza-se por sua tendência a concentração, quanto mais poucos ganham, tanto mais a maioria do povo fica na miséria, sendo que a pobreza desenvolve-se uma proporção ainda maior que a riqueza. Entretanto o Imperialismo, fase superior ao capitalismo, tem como característica principal a fusão do capital produtivo com o capital bancário, surgimento dos trustes, cartéis, monopólios, os trabalhadores impedidos de ter acesso a riqueza que produzem, penando com altos índices de desemprego e precarização do trabalho.

Surge também o proletário, os operários, ao qual sua força de trabalho é comprada, por muito pouco o quase nada, para que o salário não de para guardar nada, somente para comer, tendo que retornar a trabalhar mês a mês, até o fim de sua vida, deixando de herança  a prole seu filho para cotinuar a ser explorado.

Faço esse referencial histórico para que possamos numa linha do tempo, analisar a atualidade, o sistema que surgiu com a revolução industrial, a 200 anos nem sempre foi assim, e nem sempre será, a dialética da natureza nos diz que o mais certo é a mudança.

Estamos num período pós crise da bolsa americana, onde os recursos naturais estão exauridos, a poluição, a temperatura da terra, as guerras, a produção de alimentos para saciar o mercado e não os seres humanos, dão a tonica de uma sociedade globaliza em crise e que precisa urgentemente de mudanças, se não, será o fim do homem pelo homem.

É ai que surge a necessidade de construirmos uma ferramenta de luta dos trabalhadores, que não se vende e não trai seus ideais, esta ferramenta tem nome é PSOL.

Para distribuir realmente as riquezas que o homem produz a mais valia, não expandindo o credito como o governo Lula, não demitindo, ameaçando, perseguindo os trabalhadores com tem feitos os governos, vide YEDA/Wainer, abandonado o povo e os trabalhadores, nas quetões mais essenciais, saúde, educação, segurança, sem falar em habitação, esporte, cultura e diversão que seria obrigação do Estado.

Por tudo isto que o PSOL postula-se ao poder, venha fazer parte desta história, a nossa vez está chegando, vamos fazer a diferença porque construímos no passar da vida valores que não tem como nos tirar, ética, coragem para enfrentar os poderosos e denunciar os corruptos.

Hoje para mim é dia de reflexão, uns comemoram com churrasco o que é valido, outros não tem o que comemorar, estão desempregados, ou trabalham de forma precária, o que se percebe é que devemos lutar por dias melhores para nós e para nossos filhos, queremos dignidade para viver.

Desejamos a todos Feliz dia do TRABALHADOR, não foi atoa que millhares de homens e mulheres morreram por nós, continuemos a luta por dias melhores....

Nenhum comentário: